CLIQUE NO PLAY

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Alerta para Professores e Famílias.

Crianças recebem laudos falsos de retardo mental para aumentar o Ideb em curral eleitoral de Ciro Gomes.
A cidade de Sobral, sertão do Ceará obteve o maior índice do Ideb do Brasil. Para conquistar este posto, o município gastou mais de R$ 300 mil em falsos laudos de demência e retardo mental que destruíram a vida de várias famílias na região. Um adolescente por pouco não tirou a vida após ser diagnosticado falsamente com retardo mental
25/08/2019 às 21:51 - por Oswaldo Eustáquio

A simpática cidade de Sobral, no sertão Cearense, base eleitoral dos irmãos Ciro e Cid Gomes, que comandam a política no estado há anos, ficou famosa no Brasil pelos belos índices de alfabetização alcançando a primeira posição no IDEB. Em 2017, superou a cidade mineira de Nova Ponte com a média 7,2, equivalente a alunos do Reino Unido. A cidade é governada pelo irmão caçula de Ciro e Cid Gomes, Ivo Ferreira Gomes.
As informações foram amplamente divulgadas no Brasil às vésperas da eleição de 2018, colocando Ciro Gomes como um grande governante no quesito educação. Tudo isso seria maravilhoso se não fosse uma fraude contra a criança e o adolescente, destruindo famílias para chegar a um índice falso. Um adolescente chegou a pensar em suicídio após receber o falso diagnóstico de retardo mental.
Após três anos de investigação, a equipe de reportagem do Agora Paraná, descobriu graves crimes na cidade Sobral e Coreaú. A média alta no IDEB só foi possível porque a Secretaria de Educação do Município, gastou mais de R$ 300 mil em laudos falsos de retardo mental e demência em alunos que tiravam notas baixas, dentro na média nacional, mas notas que atrapalhariam um alto desempenho da cidade cearense no Ideb.
Veja o vídeo completo da reportagem:

Com depoimentos de médicos, professores, mães de alunos, a reportagem desmonta a maior fraude na educação infantil da história do Brasil. Os vídeos e documentos foram enviados para o Ministério Público Federal e Polícia Federal que estão investigando o caso.
Segundo as informações apuradas pelo Agora Paraná, os documentos também são usados para solicitar benefícios do INSS. Dois médicos cearenses estão sendo investigados, suspeitos de emitirem centenas de laudos, atestando falsas informações cognitivas de crianças do ensino fundamental de Sobral e Coreaú, no sertão do Ceará.
Segundo o relato das mães, as próprias diretoras organizam todo o esquema. Elas selecionam os alunos de baixo desempenho escolar, levam as crianças para a consulta e pagam até 300 reais por cada laudo.
As mães contam que além de terem os filhos saudáveis, atestados como sendo portadores de retardo mental, as crianças também foram encaminhadas pela direção da escola para tentarem benefícios do INSS usando os documentos, mas foram reprovados na perícia médica.
Desconfiadas das informações descritas nos laudos, as mães procuraram outros profissionais e eles atestaram que as crianças não sofrem de retardo mental, além de identificarem que elas  possuem grande potencial de aprendizado, culpando a escola de não aplicar métodos lúdicos e motivadores para o melhor aprendizado.
Com medo de perder o emprego e sem querer ser identificada, uma professora afirmou que realmente tem crianças com laudos de retardo mental que não tem nada. “Meu Deus, mas tem uns meninos mesmo que a gente vê que não tem nada. Dá vontade é de procurar outro emprego em outro lugar, mas infelizmente dependo do meu emprego”, revelou.
Ouvido por nossa equipe, o médico pediatra Francisco Manuel Guedes confirmou que os documentos são usados para tentarem benefícios no INSS e para influenciar nas avaliações das crianças de baixo desempenho escolar.
O Pediatra confirmou também que a Secretaria Municipal de Educação encaminha grupos de alunos do ensino fundamental de várias escolas, para que sejam emitidos os laudos, atestando retardo mental, autismo e outros diagnósticos. Segundo ele, cada laudo custa 300 reais, contudo, não soube informar quantos foram emitidos em 2018, para a prefeitura de Sobral.
Ainda segundo o médico, a Secretaria Municipal de Educação solicita laudos que confirmem que as crianças não têm condições de enfrentar as avaliações. Guedes disse que o aluno com o laudo pode fazer a prova, mas que o peso na contagem de pontos não pode ser o mesmo aplicado na correção das provas de uma criança sem o laudo. “O aluno pode ir para a prova, porém o peso dele na contagem não pode ser o mesmo de uma criança de desenvolvimento normal”, finalizou Guedes.

De 2013 a 2015 só em Coreaú (CE), 300 laudos foram emitidos atestando problemas cognitivos nas crianças do ensino fundamental, todos assinados ou pelo Dr. Bruno Gomes, ou pelo Pediatra Manuel Guedes. O Dr. Bruno, segundo relatos das mães, atende as crianças do 2º e do 5º ano, dentro das escolas sem o acompanhamento dos familiares.
A dona de casa Maria Vieira conta que nunca nem levou o filho para ser atendido pelo Doutor Bruno, e ficou assustada quando soube do laudo diagnosticando o seu filho com retardo mental.
Em Sobral, também há relatos de que o médico Bruno Gomes atende numa sala de aula da escola Maria do Carmo Andrade, sem a presença de familiares. 
Em novembro de 2018, em um só dia, mais de 10 alunos acompanhados pela diretora Fátima Farias, foram atendidos no CAPS AD, pelo Dr. Manuel Guedes. Segundo as investigações, naquela manhã, ele emitiu documentos da Santa Casa de Sobral com datas retroativas de 14 agosto e 14 de setembro, para atender a demanda da Secretaria Municipal de Educação. As mães confirmam que os documentos seriam usados para excluir os filhos da contabilidade da avaliação externa, manipulando o desempenho do município no ranking nacional.
Procuramos falar com o médico Bruno Gomes da Silva Vasconcelos, mas além de não responder nossas perguntas, ainda bloqueou o nosso contato no WhatsApp. O mesmo fez a diretora Fátima Farias, citada por várias mães como uma das diretoras que organizam todo o esquema criminoso. A Secretaria de Educação não respondeu o nosso e-mail.



"25/08/2019 às 21:51 - por Oswaldo Eustáquio", continue lendo em: http://www.agoraparana.com.br/noticia/criancas-recebem-laudos-falsos-de-retardo-mental-para-aumentar-o-ideb-em-curral-eleitoral-de-ciro-gomes#.XWMupSw9-4Y.whatsapp
http://www.agoraparana"25/08/2019 às 21:51 - por Oswaldo Eustáquio",



segunda-feira, 19 de agosto de 2019

MEC lança Política Nacional de Alfabetização - PNA


Obs.: Se precisar poderei enviar em PDF. Deixe seu email nos comentários. 


Deixe seu 👍, se inscreva no canal e acione o sininho  para receber notificações de novos vídeos. 
😉

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

A Revolução Francesa e a opressão do politicamente correto.


Nas muitas vezes em que, na história, sociedades eliminaram a moral religiosa, o que a substituiu foi uma implacável imposição estatal do que é considerado virtude ou não

1 de agosto de 2019 10:26
AvatarBraulia Ribeiro
braulia_ribeiro@yahoo.com

“A história não repete a si mesma, mas faz rimas, às vezes até tem soluços…” Assim começa um artigo interessante publicado no Wall Street Journal no dia 25 de julho. A autora Peggy Noonan tece uma comparação da Revolução Francesa com o que se vive hoje na América. Gostei da comparação e acredito que a semelhança da França de 1789 e o Brasil é ainda maior do que o que se vê no panorama cultural americano.

Muitas pessoas pensam que uma vez eliminada a religião, também acaba a noção do certo e errado. Afinal é o cálice (cale-se) da moral cristã o pai de todas as repressões. A sociedade utópica ideal, ao deixar de cultivar moralismos “medievais” como o códex cristão, seria completamente livre. Como queria o nosso Raul Seixas na letra de “Viva a Sociedade Alternativa:” –“Faz o que tu queres, Há de ser tudo da Lei, Viva A Sociedade Alternativa” Ou como na música Imagine de Lennon, “nem céu nem inferno, apenas o firmamento” – nada de ideias metafísicas que sustentem a moral, só existe o universo físico acima de nós.

A verdade é que, nas muitas vezes em que na história sociedades eliminaram a moral religiosa, o que a substituiu foi uma implacável imposição estatal do que é considerado virtude ou não.

Alguns poucos governantes decidem para todos o que é o comportamento adequado naquela sociedade e impõem sanções fortíssimas aos transgressores. Estabelece-se uma moral Estatal arbitrária, gerada por uma elite intelectual, imposta sobre o povo sob a égide da lei civil. Moral deixa de ser uma decisão do indivíduo para ser uma obrigação sancionada pelo poder coercivo do Estado autoritário.

Foi assim na Rússia de Lênin e Stalin e foi assim na França do psicopata que liderou a revolução francesa, Robespierre. Uma vez eliminada a noção de uma consciência moral individual como uma necessidade sine-qua-non para a construção de uma sociedade melhor, entre outras palavras, religião, a única esperança se torna a imposição coerciva de uma moral coletiva. Robespierre acreditava piamente que iria criar um reino de virtude, de acordo com a ideia de virtude definida por ele e seus correligionários. É dele a ideia de que a educação conduz à liberdade: “O segredo da liberdade está em educar as pessoas e, o do tirania, em mantê-las ignorantes”.

Mas ele não usa a palavra educação como nós a usamos. De acordo com seu projeto, os indivíduos seriam doutrinados para se enquadrarem ao que ele e seus comparsas definiam como sendo virtude. O truque é que o Estado não se limita a si mesmo. Enquanto os cidadãos obedecem, o Estado se dá o direito de se impor por meio do terror. Virtude e terror seriam mesma coisa desde que tivessem como alvo a “liberdade.”

Liberdade para viver debaixo da nova república, mas não para examinar a república e questioná-la. Ele não promovia uma educação para a emancipação do individuo, mas uma espécie de adestramento para a nova ordem instaurada por ele. Qualquer semelhança com a doutrinação sugerida mais tarde por Gramsci não é mera coincidência.

A religião cristã se coloca como a inimiga natural deste doutrinamento, porque ela tende a conectar o crente com a realidade humana além dos limites da cultura criada pela revolução.

Ela desmascara a falsa esperança produzida pelos revolucionários ao inspirar uma leitura diferente do que seja a natureza humana e do que seja o mundo. A ideia de que eu faço a minha parte e você faz a sua para construir uma sociedade melhor implica em algumas pressuposições.

Primeira: eu sei qual é minha parte – que se refere à consciência individual. E segundo, a minha ideia do que é certo, ou do que seja a minha parte, é a mesma que a sua. Parte-se de um alicerce moral comum ao qual eu e você temos acesso. Esta noção de sociedade é possível onde existe uma fé religiosa comum.

Robespierre e seus comparsas tinham como alvo destruir a civilização francesa que consideravam podre até a raiz e, ao invés de reformar a monarquia, rota escolhida pelos ingleses, decidiram eliminá-la. Guiado por impulsos messiânicos junto com seus intelectuais Jacobinos, queria criar uma nova cultura com novas imagens simbólicas que substituíram a velha ordem derivada da religião. Até o calendário eles se determinaram a mudar.

E aqui está o paralelo claro com a esquerda de hoje no mundo ocidental, o soluço histórico como sugere a autora do artigo do WSJ. A intenção dos “neo-Jacobinos” atuais é mudar todas as referências da cosmovisão judaico-cristã para o novo código virtuoso elaborado pelos intelectuais de plantão.

Países como o Canadá, Suécia, Islândia, e muitos outros vão sucumbindo devagar ao peso do moralismo estatal. O assassinato dos fetos portadores de síndrome-de-Down e de outras deficiências físicas, a prática da eutanásia para os depressivos e velhos, a liberação do incesto e da pedofilia – que são as últimas barreiras a serem transpostas para o fim completo de todas as regras que restringem o comportamento sexual –, todas estas são imposições da “virtude” idealizada pelo Estado nesses países.

Um dos exemplos mais absurdos disto é a obsessão como os pronomes “corretos” que agora se impõe no espaço público. Um website sustentado por um destes grupos pseudo-virtuosos, por exemplo, sugere 63 pronomes que devem ser usados no dia-a-dia, substituindo os odiados pronomes binários ele/ela, eles/elas. Imagine a dificuldade que nos será imposta na comunicação uns com os outros.

O resultado da revolução moral de Robespierre foi a implantação de um reino do terror responsável por derramar rios de sangue nas ruas da França. Só nos resta orar, enquanto nos for permitido, para que esta sandice morra no berço antes de nos atacar a todos, porque, nos revela a história, a moral implantada pelo Estado certamente mata.
Fonte: https://olivre.com.br/a-revolucao-francesa-e-a-opressao-do-politicamente-correto


Redes Sociais - Inscreva no Canal, acione o sininho e deixe seu  👍
#ProfessoraMarciaValeria 

www.webradioconexao.net curta no facebook https://www.facebook.com/emconexaocomomundo/

www.webradioconexao.net  curta no facebook https://www.facebook.com/emconexaocomomundo/
Clique na imagem e conheça nosso site.

Professora Marcia Valeria

EVANGÉLICOS PELO ESCOLA SEM PARTIDO

EVANGÉLICOS PELO ESCOLA SEM PARTIDO
Clique no símbolo e vá para nossa TL.

Contadores

"Feliz aquele que transfere o que sabe
e aprende o que ensina."
(Cora Coralina)

Feliz Dia das Crianças para todos!
Responsabilidade, Honestidade e Pontualidade faz parte de nossas vidas e temos que estar atentos para não pecarmos nessas áreas. Isso faz parte do ser adulto. Mas nada nos impede de sermos crianças em alguns momentos, principalmente na humildade e sinceridade. Só que a sinceridade as vezes ofende, pois as pessoas não estão preparadas para ouvirem a verdade, mesmo que venha da boca de uma criança.

Professora Marcia Valeria-2010.