LUMINOSO

PLAY- CLIQUE PARA OUVIR A WEB RÁDIO CONEXÃO,NET

domingo, 26 de novembro de 2017

Minha indignação com relato da "mãe" do menor beijando um adolescente.

Professora Marcia Valeria


https://www.youtube.com/watch?v=5yupOFT-WUU


A imagem pode conter: texto


Cercado pela família, eles cantaram a melodia "parabéns a você" recheada de citações sexuais



Fontes DIVERSAS na internet:
 jconline.ne10.uol.com.br › política › nacional
https://www.jornalopcao.com.br 
gazetaweb.globo.com/.../menino-de-12-anos-beija-namorado-e-causa-polemica-na-int...
midiabahia.com.br
https://www.youtube.com/watch?v=a1r0WuDgneM
https://www.youtube.com/watch?v=Vy7ZdZRaLos


Resultado de imagem para vídeo do menino beijando outro menino em festa de aniversário




quinta-feira, 23 de novembro de 2017

MUTIRÃO NACIONAL CONTRÁRIO À IDEOLOGIA DE GÊNERO NA BNCC

MUTIRÃO NACIONAL CONTRÁRIO À IDEOLOGIA DE GÊNERO NA BNCC
Ocorrerá nas redes sociais e durará de 16 a 30 de novembro, visto que a homologação da BNCC pelo MEC está prevista para a primeira semana de dezembro.
Portanto, estes são os últimos dias para quem deseja lutar contra este conceito no currículo escolar
Quem pode participar? Qualquer pessoa de bem, interessada no tema, por iniciativa própria e sem esperar o comando de ninguém.
Quais ações sugeridas? 
primeiro Publicar e/ou compartilhar nas próprias redes sociais vídeos, textos, áudios e imagens contrárias à Ideologia de Gênero.

segundo Consiga o compromisso do seu vereador e também do seu deputado estadual de conseguir uma CARTA ABERTA em nome da Câmara de Vereadores ou Assembleia Legislativa, endereçada ao Presidente da Câmara dos Deputados, Ministro da Educação, Presidente do Conselho Nacional de Educação e também ao Presidente da República, repudiando a presença da Ideologia de Gênero na BNCC.
A meta é fazer com que cada estado e cada capital produza uma CARTA ABERTA, assim como já fizeram os estados de Goiás, Minas Gerais e o Distrito Federal (conforme modelos nos links abaixo).

terceiro Orar a Deus em favor do futuro educacional das crianças e dos adolescentes do país e também pela paz e justiça social.
LEIA E DISTRIBUA AS REFLEXÕES E INSTRUÇÕES ABAIXO
Algumas ideias soltas (sem preocupação com a linearidade textual) sobre a BNCC, para nossa reflexão e ação:
• Segundo o MEC, a BNCC será homologada pelo Ministro na primeira semana de dezembro.
• A Ideologia de Gênero está presente na BNCC E NÃO SAIRÁ a menos que haja uma revolução. E essa revolução se daria com a transferência dela para o Congresso Nacional. 
• A parte conservadora do MEC, incluindo nela o ministro, infelizmente, não controla a construção da BNCC. O aparelhamento do MEC e do sistema de ensino é crônico e de difícil solução. Quem na verdade constrói o documento desde o seu alicerce é a Fundação Lemann, em parceria com a UNESCO e os colegiados (de professores, de universidades, de secretários de educação) e os fóruns (sobretudo movimentos sociais e sindicatos). Esses grupos monopolizam os membros da relatoria, revisão e redação da BNCC. 
• A Fundação Lemann, por sua vez, funciona como um guarda-chuva que abriga a nata do mercado financeiro e empresarial nacional e estrangeiro, além de grandes fundações e metacapitalistas. A lista é grande e poderosa. A Fundação Lemann funciona mesmo como uma espécie de “laranja” ou “testa de ferro” desses interesses.
• Há interesses de toda ordem que rondam o sistema educacional brasileiro: implantação de rede de computadores nas escolas de todo o país; digitalização dos programas educacionais; participação no bilionário mercado de livros didáticos e paradidáticos; entrada no mercado de escolas, faculdades e universidades; o mercado da formação, treinamento e capacitação docente; fazer do Brasil (devido suas dimensões geográficas, econômica e populacional) garoto-propaganda de país com modelo nacional de currículo unificado; uma educação “pluralista”, “inclusiva” de acordo com o novo conceito de direitos humanos estendido da ONU.
• Nos últimos dias tem havido uma a forte propaganda de a BNCC nas redes sociais e na TV, feitas pela Fundação Lemann, UNESCO e o MEC. Nos comerciais e nos pequenos vídeos da internet, defendem a legitimidade da base curricular, propagam que ela é democrática (o que não é verdade) e consensual. 
• Embora ainda não haja BNCC o seu conteúdo já aparece nos livros didáticos que chegaram para as escolas em 2016 (1º ao 5º ano) e virá com muita força nos livros 2018 (6º ao 9º ano)
• O CONSED (Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Educação) e a UNDIME (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), além dos Fóruns Estaduais, Municipais e Nacional de Educação trabalharam fortemente neste segundo semestre treinando os “sistemas de ensino estaduais e municipais” para a aplicação da BNCC, mesmo ela ainda não estando pronta. Isto mostra a confiança que essas organizações têm na sua aprovação. Por isto, com base curricular ou sem ela, as ideias, os conceitos, as propostas já estão sendo aplicadas nas escolas. Veja o link:
• O caminho mais responsável, mais patriota para a BNCC hoje é aquele proposto pelo deputado Rogério Marinho (RN), através do PL 4486/16. O deputado Diego Garcia (PR), entrou com um REQUERIMENTO DE URGÊNCIA para esse PL. No meu entender, todos nós devemos apoiar este requerimento. Esta é a nossa tábua de salvação. Veja o link:
• Os argumentos dos críticos da trazida da BNCC ao Congresso, inclusive o Ministro e alguns deputados, é que significará o atraso no cronograma da BNCC e também porque os deputados farão dessa BNCC um verdadeiro monstrengo. Estes argumentos, no entanto, não se sustentam. Monstrengo a BNCC já se tornou nas mãos do MEC e do CNE. Pior: um mostrengo perigoso para nossas crianças, adolescentes e nossas famílias.

PROPOSTA DE BNCC ALTERNATIVA REALMENTE CONSTITUCIONAL E SEM IDEOLOGIA DE GÊNERO
• Nas mãos dos deputados e senadores, verdadeiros representantes do povo, eleitos para legislar, as distorções sociais dessa BNCC poderão ser corrigidas. Não se esqueçam que o próprio Congresso foi capaz de discutir e aprovar o Plano Nacional de Educação melhor do que se ele tivesse ficado nas mãos do MEC e do CNE.
• É inegável que o Ministro Mendonça tem tomado medidas importantes para a desintoxicação do MEC e do sistema de ensino, além da melhoria da qualidade da educação no país. E sabemos que esta é uma tarefa árdua e de longos anos. E agradecemos ao ministro por tê-la iniciado. As novas regras para o ensino médio, a reorganização das séries iniciais e também a retirada das universidades dos próximos editais de escolha livros didáticos, são avanços consideráveis. No entanto, devemos reconhecer suas limitações de ação (embora suas intenções sejam boas) em função grau de aparelhamento do MEC e do sistema educacional.
• No entanto, tanto a nós eleitores comuns quanto aos deputados federais e senadores, este reconhecimento ao Ministro, não deve suplantar os interesses maiores do povo, especialmente do povo cristão.
• O Ministro é passageiro no cargo. Pode ser que ele saia em dezembro, nesta reforma parcial que o presidente Temer fará; ou mesmo em março, tempo limite para desincompatibilização, visando atender a lei eleitoral. Já a BNCC é para o futuro da sociedade brasileira. 
• Cumprir fidelidade ao projeto do Ministro de homologar a BNCC, certamente o ajudará na consolidação da imagem de político habilidoso. Imagem merecida, por sinal. Porque não é fácil administrar a tramitação turbulenta da BNCC com tantos interesses em jogo. 
• Os deputados e senadores precisam discernir bem o momento. Eles estão com a difícil decisão de Garantir a conquista política do companheiro-deputado que hoje é ministro, numa pauta difícil como esta, e ainda garantir uma agenda positiva (de realizações) ao Governo, MAS QUE, NA VERDADE, PODERÁ, isto sim, beneficiar os interesses da UNESCO e do guarda-chuva que compõe a Fundação Lemann*. Se isto acontecer, a população que elegeu os deputados e o próprio ministro, em especial os cristãos, terá sido severamente penalizada por um projeto que não lhes interessa pois lhes é prejudicial.

Veja o link:

E mais este:

• É duro dizer mas, caso as coisas deem certo apenas para os interesses do projeto da ONU de estabelecer o Brasil como modelo educacional de uma nova ordem, (podendo trabalhar para impedir isto e não o tendo feito adequadamente) quem errar conscientemente no processo (não tendo feito o bem que poderia fazer) será julgado pela história, pelos eleitores e pelo próprio Senhor a quem servimos e devemos obediência. E, de quebra, terá a visão futura do triste resultado de sociedade pensado e moldado pelos mecanismos ideológicos que envolvem esta BNCC.
• Não há dúvidas que o procedimento mais sensato, mais patriótico, mais democrático, mais responsável e mais em sintonia com as necessidades do nosso povo, é interromper as atividades da BNCC no MEC e no CNE e encaminhá-la ao Congresso Nacional.
• Os multiculturalistas e desconstrucionistas sociais das fundações, fóruns e universidades ensaiaram a retirada de apoio à BNCC e até mesmo um boicote a ela. Não porque estivessem contrariados com o conteúdo dela (porque eles mesmos a construíram...) mas para prejudicar o “governo golpista”, ou seja, não deixar Temer ter o privilégio de aprovar o documento. Porém, ao analisarem o cenário político, com a possibilidade da BNCC passar pelo Congresso que é conservador, eles decidiram exatamente o contrário, ou seja, apoiar o CNE e o MEC. Na visão deles, se a BNCC for para o Congresso, os deputados e senadores retirarão aquilo que eles chamam de “avanços progressistas.”
• Todos sabem que a BNCC é absolutamente estratégica porque é capaz de transformar a sociedade e o futuro do Brasil para os rumos globalizantes e multiculturais que eles desejam.
• É claro que o ministro tem prerrogativas para homologar o texto que ele quiser, suprimindo e inserindo partes. Resta saber a sua disposição em comprar brigas políticas homéricas tanto para si quanto para o Governo, ao contrariar os poderosos interesses de uma nova ordem educacional global.
• Constitui-se em tarefa para os conservadores desmascarar o discurso da perspectiva de gênero segundo o qual visa defender as mulheres e as pessoas homossexuais na escola. Constitui-se em desafio também mostrar que o verdadeiro discurso dessa ideologia é pela desconstrução da heterossexualidade e da família natural. Isto para crianças de 0 a 14 anos, público ao qual se destina à BNCC.
• Constitui-se em desafio para os conservadores mostrar que podem combater todo tipo de discriminação na escola, descartando-se os pressupostos teóricos da perspectiva de Gênero.
• O MEC e o CNE adotaram um discurso desconstrucionista sobre Ideologia de Gênero. Esse discurso foi construído e difundido principalmente a partir dos “grupos de estudos de gênero” presentes nas universidades. E eles são mais de 1.000 cadastrados no CNPQ, com mais de 15.000 pesquisadores envolvidos, uma parte com bolsa do Governo, fora as agências de fomento estaduais. Foi necessário a esses grupos reformularem os seus discursos para driblarem (e confundirem) a vigilância dos conservadores cristãos. Vale dizer, então, que tanto o MEC quando o CNE estão absolutamente afinados com esses grupos e adotaram publicamente a política de defensores e reprodutores das suas linguagens. 
• Vale ressaltar que a existência dos grupos de estudos de gênero nas universidades é legítima, atende ao próprio espírito da universidade de pluralidade ideológica e também da autonomia universitária. Também, não são todos os 1.000 grupos de estudos de gênero cadastrados no CNPQ que se dedicam propositadamente IR ATÉ À SOCIEDADE para a desconstrução de valores culturais tradicionais e de determinação biológica e psicológica. 
• Fora do conservadorismo cristão (católico e evangélico) há uma unanimidade discursiva em dizer que não há ideologia de gênero na BNCC, mas políticas de respeito e valorização das pessoas. As denúncias sobre a existência desse conceito, neste caso, seriam frutos de ignorância teórico-acadêmica, de fundamentalismo religioso e radicalismo exacerbado. 
• O trabalho de reengenharia linguística e discursiva que os grupos de estudos de gênero têm feito ultimamente fez com que eles não necessitem mais de palavras e expressões que antes lhes eram importantes: gênero, identidade de gênero, orientação sexual e diversidade sexual. As novas nomenclaturas e expressões são polissêmicas (confundem-se e disfarçam-se facilmente com outras coisas e conteúdos, dependendo da forma de uso e lugar onde são colocadas) e se diluem nos textos tornando muito difícil a identificação delas por parte de quem desconhece os mecanismos relativistas e fluídos para o funcionamento desse tipo de camuflagem linguística. 
• Muitos entre nós (inclusive políticos) acreditam que pelo fato de terem saído as expressões diversidade sexual, identidade de gênero e orientação sexual boa parte ou a quase totalidade da ideologia de gênero tenha também saído da BNCC. E a militância de gênero, esperta que é, sabe que não sofreu qualquer prejuízo na essência da matéria. Com isto, até usa a ingenuidade conservadora nessa crença para passar-se de vítima e reivindicar o retorno das expressões. Uma choradeira apenas teatral, para inglês ver.
• E são bem capazes de conseguirem emplacar na BNCC um glossário para esclarecer melhor as palavras e expressões para dirimir as dúvidas... Isto para dizerem que foi encontrado um discurso intermediário que tanto atendesse a perspectiva de gênero quanto a perspectiva sexual. Como se o problema entre as duas partes fossem apenas frutos de mal entendidos e de falta de esclarecimento semântico.
• Mas que fique bem claro uma coisa: não há compatibilidade entre a perspectiva de gênero e a perspectiva sexual. Não é uma questão apenas semântica, mas conceitual e epistemológica.
• Tomara que os nossos políticos em suas aproximações com o MEC não caiam no engodo de se fazer gambiarra no texto da BNCC porque pode não surtir o efeito esperado. Lembrem-se que não se desconstrói um texto tão cuidadosa e maliciosamente costurado com adendos, improvisações e remendos.
• Mais: Assim como não há mulher meio grávida; não há BNCC quase sem Ideologia de Gênero

Gostaria de pontuar algumas sugestões de ação para este grupo com relação à BNCC:
• Qualquer mobilização deverá acontecer dentro do mês de novembro, visto que a BNCC será homologada nos primeiros dias de dezembro.
• Fazer na SEGUNDA QUINZENA DE NOVEMBRO (de 16 a 30) um MUTIRÃO NACIONAL de divulgação e explicação ao povo sobre o que seja a BNCC. Muitos ainda não compreenderam que este documento é mais importante do que a “Lava Jato”, as “10 medidas contra a corrupção” e outras campanhas. 
• Enfatizar que a ideologia de gênero ESTÁ na BNCC e somente sairá de lá se houver um fato político extraordinariamente forte. Até agora, os ideólogos de gênero estão vencendo a queda de braços.
• Movimentar as redes sociais no sentido de fazer com que haja uma verdadeira avalanche, nesse período, de (re)publicações de vídeos, áudios, documentários, panfletos e artigos sobre ideologia de gênero. Promover uma saturação das redes sociais com essa temática, nesta reta final da BNCC.
• Movimentar deputados estaduais e vereadores de todo o país para que TODAS as assembleias legislativas e as câmaras de vereadores de TODAS as capitais OFICIOS para o MEC, o CNE, o Presidente da Câmara dos Deputados e o Presidente Temer 
• As Assembleias Legislativas Goiás, do Distrito Federal e de Minas Gerais JÁ SE MANIFESTARAM OFICIALMENTE, conforme links abaixo. Que os demais estados e capitais sigam o mesmo exemplo, podendo usar o mesmo texto.
Neste link, referência ao ofício do dep. Delmasso (DF)

Neste link, referência ao ofício do dep. Francisco Júnior (GO)

Neste link, referência a Minas Gerais:

E este

• Além de TODAS as assembleias legislativas e TODAS as câmaras de vereadores das capitais, que sejam mobilizadas as demais câmaras de vereadores do país, o maior número possível. A promoção de uma avalanche de ofícios.
• Orientem aos parlamentares interessados a buscarem informações e o modelo nos gabinetes dos deputados estaduais Rodrigo Delmasso (DF) e Francisco Junior (GO).
• Mobilizar cantores e artistas cristãos para condenarem publicamente a ideologia de gênero na BNCC. Onde eles estão que não se manifestam?
• A equipe de pesquisas sobre a BNCC, da profa. Viviane Petinelli (BH), que faço parte, produziu materiais técnicos, de altíssima qualidade sobre a BNCC. Inclusive, foi entregue cópias desse material tanto ao ministro Mendonça quanto a membros do Conselho Nacional de Educação e também a deputados e senadores. Seria muito bom se esse material fosse popularizado e estudado Para tanto, pedimos a ajuda de todos no sentido estudá-lo, distribuí-lo e popularizá-lo. Principalmente entre os formadores de opinião.
Este é apenas um dos materiais:
• Movimentar os pastores presidentes das igrejas e convenções grandes e pequenas de todo o país para que eles acionem os seus deputados e também pressionem o presidente Temer neste último esforço pela base.
• Turbinar as petições públicas que circulam na internet. ( http://deolhonolivrodidatico.blogspot.com.br/…/a-3-versao-d… )

• Tem aumentado o número de manifestações pelas igrejas, inclusive nas ruas, e isto é bom. No entanto, os discursos são desfocados e genéricos: pela família, pelas crianças... Não desmereço estes esforços, mas do ponto de vista propagandístico deveríamos eleger um alvo. E não há alvo hoje maior e mais urgente do que a BNCC.
• Marcar dias específicos para fazer subir a hashtag “não ao gênero na BNCC”.
• Incentivar os internautas a publicarem fotos suas com cartazes contra a ideologia de gênero na BNCC (sou professor e sou contra..., sou médico, sou advogado, sou pai, sou mãe, etc)
• Incentivar a gravação de áudios e vídeos pelos internautas manifestando essa contrariedade.
• Constitui-se em desafio DESMASCARAR o discurso da militância de gênero que acusa os pacificamente contrários à aplicação da ideologia nas escolas de crianças e adolescentes de preconceituosos (e sem amor) contra pessoas de opção sexual e familiar diferente do padrão natural. 
• Mobilizar deputados federais, senadores, deputados estaduais, vereadores para que, durante esta quinzena (a última quinzena de oportunidade pela BNCC) eles se manifestem nas tribunas e nas suas redes sociais.
• Ideia Legislativa protocolada no Senado Federal pela advogada Rubenita Lessa pede que a BNCC, depois de finalizada no CNE, seja encaminhada ao Congresso Nacional. Esta ideia espera chegar ao número de 20.000 apoiantes para receber como relator, um dos senadores, e tramitar como Projeto de Lei.
Para assinar e ajudar na divulgação, acesse link: https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaoideia…

Vozes de expressão como esta precisam se levantar com urgência:
https://noticias.cancaonova.com/…/cardeal-do-rio-al…/MUTIRÃONACIONAL CONTRÁRIO À IDEOLOGIA DE GÊNERO NA BNCC

Ocorrerá nas redes sociais e durará de 16 a 30 de novembro, visto que a homologação da BNCC pelo MEC está prevista para a primeira semana de dezembro.
Portanto, estes são os últimos dias para quem deseja lutar contra este conceito no currículo escolar
Quem pode participar? Qualquer pessoa de bem, interessada no tema, por iniciativa própria e sem esperar o comando de ninguém.
Quais ações sugeridas? 
primeiro Publicar e/ou compartilhar nas próprias redes sociais vídeos, textos, áudios e imagens contrárias à Ideologia de Gênero.

segundo Consiga o compromisso do seu vereador e também do seu deputado estadual de conseguir uma CARTA ABERTA em nome da Câmara de Vereadores ou Assembleia Legislativa, endereçada ao Presidente da Câmara dos Deputados, Ministro da Educação, Presidente do Conselho Nacional de Educação e também ao Presidente da República, repudiando a presença da Ideologia de Gênero na BNCC.
A meta é fazer com que cada estado e cada capital produza uma CARTA ABERTA, assim como já fizeram os estados de Goiás, Minas Gerais e o Distrito Federal (conforme modelos nos links abaixo).

terceiro Orar a Deus em favor do futuro educacional das crianças e dos adolescentes do país e também pela paz e justiça social.
LEIA E DISTRIBUA AS REFLEXÕES E INSTRUÇÕES ABAIXO
Algumas ideias soltas (sem preocupação com a linearidade textual) sobre a BNCC, para nossa reflexão e ação:
• Segundo o MEC, a BNCC será homologada pelo Ministro na primeira semana de dezembro.
• A Ideologia de Gênero está presente na BNCC E NÃO SAIRÁ a menos que haja uma revolução. E essa revolução se daria com a transferência dela para o Congresso Nacional. 
• A parte conservadora do MEC, incluindo nela o ministro, infelizmente, não controla a construção da BNCC. O aparelhamento do MEC e do sistema de ensino é crônico e de difícil solução. Quem na verdade constrói o documento desde o seu alicerce é a Fundação Lemann, em parceria com a UNESCO e os colegiados (de professores, de universidades, de secretários de educação) e os fóruns (sobretudo movimentos sociais e sindicatos). Esses grupos monopolizam os membros da relatoria, revisão e redação da BNCC. 
• A Fundação Lemann, por sua vez, funciona como um guarda-chuva que abriga a nata do mercado financeiro e empresarial nacional e estrangeiro, além de grandes fundações e metacapitalistas. A lista é grande e poderosa. A Fundação Lemann funciona mesmo como uma espécie de “laranja” ou “testa de ferro” desses interesses.
• Há interesses de toda ordem que rondam o sistema educacional brasileiro: implantação de rede de computadores nas escolas de todo o país; digitalização dos programas educacionais; participação no bilionário mercado de livros didáticos e paradidáticos; entrada no mercado de escolas, faculdades e universidades; o mercado da formação, treinamento e capacitação docente; fazer do Brasil (devido suas dimensões geográficas, econômica e populacional) garoto-propaganda de país com modelo nacional de currículo unificado; uma educação “pluralista”, “inclusiva” de acordo com o novo conceito de direitos humanos estendido da ONU.
• Nos últimos dias tem havido uma a forte propaganda de a BNCC nas redes sociais e na TV, feitas pela Fundação Lemann, UNESCO e o MEC. Nos comerciais e nos pequenos vídeos da internet, defendem a legitimidade da base curricular, propagam que ela é democrática (o que não é verdade) e consensual. 
• Embora ainda não haja BNCC o seu conteúdo já aparece nos livros didáticos que chegaram para as escolas em 2016 (1º ao 5º ano) e virá com muita força nos livros 2018 (6º ao 9º ano)
• O CONSED (Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Educação) e a UNDIME (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), além dos Fóruns Estaduais, Municipais e Nacional de Educação trabalharam fortemente neste segundo semestre treinando os “sistemas de ensino estaduais e municipais” para a aplicação da BNCC, mesmo ela ainda não estando pronta. Isto mostra a confiança que essas organizações têm na sua aprovação. Por isto, com base curricular ou sem ela, as ideias, os conceitos, as propostas já estão sendo aplicadas nas escolas. Veja o link:
• O caminho mais responsável, mais patriota para a BNCC hoje é aquele proposto pelo deputado Rogério Marinho (RN), através do PL 4486/16. O deputado Diego Garcia (PR), entrou com um REQUERIMENTO DE URGÊNCIA para esse PL. No meu entender, todos nós devemos apoiar este requerimento. Esta é a nossa tábua de salvação. Veja o link:
• Os argumentos dos críticos da trazida da BNCC ao Congresso, inclusive o Ministro e alguns deputados, é que significará o atraso no cronograma da BNCC e também porque os deputados farão dessa BNCC um verdadeiro monstrengo. Estes argumentos, no entanto, não se sustentam. Monstrengo a BNCC já se tornou nas mãos do MEC e do CNE. Pior: um mostrengo perigoso para nossas crianças, adolescentes e nossas famílias.

PROPOSTA DE BNCC ALTERNATIVA REALMENTE CONSTITUCIONAL E SEM IDEOLOGIA DE GÊNERO
• Nas mãos dos deputados e senadores, verdadeiros representantes do povo, eleitos para legislar, as distorções sociais dessa BNCC poderão ser corrigidas. Não se esqueçam que o próprio Congresso foi capaz de discutir e aprovar o Plano Nacional de Educação melhor do que se ele tivesse ficado nas mãos do MEC e do CNE.
• É inegável que o Ministro Mendonça tem tomado medidas importantes para a desintoxicação do MEC e do sistema de ensino, além da melhoria da qualidade da educação no país. E sabemos que esta é uma tarefa árdua e de longos anos. E agradecemos ao ministro por tê-la iniciado. As novas regras para o ensino médio, a reorganização das séries iniciais e também a retirada das universidades dos próximos editais de escolha livros didáticos, são avanços consideráveis. No entanto, devemos reconhecer suas limitações de ação (embora suas intenções sejam boas) em função grau de aparelhamento do MEC e do sistema educacional.
• No entanto, tanto a nós eleitores comuns quanto aos deputados federais e senadores, este reconhecimento ao Ministro, não deve suplantar os interesses maiores do povo, especialmente do povo cristão.
• O Ministro é passageiro no cargo. Pode ser que ele saia em dezembro, nesta reforma parcial que o presidente Temer fará; ou mesmo em março, tempo limite para desincompatibilização, visando atender a lei eleitoral. Já a BNCC é para o futuro da sociedade brasileira. 
• Cumprir fidelidade ao projeto do Ministro de homologar a BNCC, certamente o ajudará na consolidação da imagem de político habilidoso. Imagem merecida, por sinal. Porque não é fácil administrar a tramitação turbulenta da BNCC com tantos interesses em jogo. 
• Os deputados e senadores precisam discernir bem o momento. Eles estão com a difícil decisão de Garantir a conquista política do companheiro-deputado que hoje é ministro, numa pauta difícil como esta, e ainda garantir uma agenda positiva (de realizações) ao Governo, MAS QUE, NA VERDADE, PODERÁ, isto sim, beneficiar os interesses da UNESCO e do guarda-chuva que compõe a Fundação Lemann*. Se isto acontecer, a população que elegeu os deputados e o próprio ministro, em especial os cristãos, terá sido severamente penalizada por um projeto que não lhes interessa pois lhes é prejudicial.

Veja o link:

E mais este:

• É duro dizer mas, caso as coisas deem certo apenas para os interesses do projeto da ONU de estabelecer o Brasil como modelo educacional de uma nova ordem, (podendo trabalhar para impedir isto e não o tendo feito adequadamente) quem errar conscientemente no processo (não tendo feito o bem que poderia fazer) será julgado pela história, pelos eleitores e pelo próprio Senhor a quem servimos e devemos obediência. E, de quebra, terá a visão futura do triste resultado de sociedade pensado e moldado pelos mecanismos ideológicos que envolvem esta BNCC.
• Não há dúvidas que o procedimento mais sensato, mais patriótico, mais democrático, mais responsável e mais em sintonia com as necessidades do nosso povo, é interromper as atividades da BNCC no MEC e no CNE e encaminhá-la ao Congresso Nacional.
• Os multiculturalistas e desconstrucionistas sociais das fundações, fóruns e universidades ensaiaram a retirada de apoio à BNCC e até mesmo um boicote a ela. Não porque estivessem contrariados com o conteúdo dela (porque eles mesmos a construíram...) mas para prejudicar o “governo golpista”, ou seja, não deixar Temer ter o privilégio de aprovar o documento. Porém, ao analisarem o cenário político, com a possibilidade da BNCC passar pelo Congresso que é conservador, eles decidiram exatamente o contrário, ou seja, apoiar o CNE e o MEC. Na visão deles, se a BNCC for para o Congresso, os deputados e senadores retirarão aquilo que eles chamam de “avanços progressistas.”
• Todos sabem que a BNCC é absolutamente estratégica porque é capaz de transformar a sociedade e o futuro do Brasil para os rumos globalizantes e multiculturais que eles desejam.
• É claro que o ministro tem prerrogativas para homologar o texto que ele quiser, suprimindo e inserindo partes. Resta saber a sua disposição em comprar brigas políticas homéricas tanto para si quanto para o Governo, ao contrariar os poderosos interesses de uma nova ordem educacional global.
• Constitui-se em tarefa para os conservadores desmascarar o discurso da perspectiva de gênero segundo o qual visa defender as mulheres e as pessoas homossexuais na escola. Constitui-se em desafio também mostrar que o verdadeiro discurso dessa ideologia é pela desconstrução da heterossexualidade e da família natural. Isto para crianças de 0 a 14 anos, público ao qual se destina à BNCC.
• Constitui-se em desafio para os conservadores mostrar que podem combater todo tipo de discriminação na escola, descartando-se os pressupostos teóricos da perspectiva de Gênero.
• O MEC e o CNE adotaram um discurso desconstrucionista sobre Ideologia de Gênero. Esse discurso foi construído e difundido principalmente a partir dos “grupos de estudos de gênero” presentes nas universidades. E eles são mais de 1.000 cadastrados no CNPQ, com mais de 15.000 pesquisadores envolvidos, uma parte com bolsa do Governo, fora as agências de fomento estaduais. Foi necessário a esses grupos reformularem os seus discursos para driblarem (e confundirem) a vigilância dos conservadores cristãos. Vale dizer, então, que tanto o MEC quando o CNE estão absolutamente afinados com esses grupos e adotaram publicamente a política de defensores e reprodutores das suas linguagens. 
• Vale ressaltar que a existência dos grupos de estudos de gênero nas universidades é legítima, atende ao próprio espírito da universidade de pluralidade ideológica e também da autonomia universitária. Também, não são todos os 1.000 grupos de estudos de gênero cadastrados no CNPQ que se dedicam propositadamente IR ATÉ À SOCIEDADE para a desconstrução de valores culturais tradicionais e de determinação biológica e psicológica. 
• Fora do conservadorismo cristão (católico e evangélico) há uma unanimidade discursiva em dizer que não há ideologia de gênero na BNCC, mas políticas de respeito e valorização das pessoas. As denúncias sobre a existência desse conceito, neste caso, seriam frutos de ignorância teórico-acadêmica, de fundamentalismo religioso e radicalismo exacerbado. 
• O trabalho de reengenharia linguística e discursiva que os grupos de estudos de gênero têm feito ultimamente fez com que eles não necessitem mais de palavras e expressões que antes lhes eram importantes: gênero, identidade de gênero, orientação sexual e diversidade sexual. As novas nomenclaturas e expressões são polissêmicas (confundem-se e disfarçam-se facilmente com outras coisas e conteúdos, dependendo da forma de uso e lugar onde são colocadas) e se diluem nos textos tornando muito difícil a identificação delas por parte de quem desconhece os mecanismos relativistas e fluídos para o funcionamento desse tipo de camuflagem linguística. 
• Muitos entre nós (inclusive políticos) acreditam que pelo fato de terem saído as expressões diversidade sexual, identidade de gênero e orientação sexual boa parte ou a quase totalidade da ideologia de gênero tenha também saído da BNCC. E a militância de gênero, esperta que é, sabe que não sofreu qualquer prejuízo na essência da matéria. Com isto, até usa a ingenuidade conservadora nessa crença para passar-se de vítima e reivindicar o retorno das expressões. Uma choradeira apenas teatral, para inglês ver.
• E são bem capazes de conseguirem emplacar na BNCC um glossário para esclarecer melhor as palavras e expressões para dirimir as dúvidas... Isto para dizerem que foi encontrado um discurso intermediário que tanto atendesse a perspectiva de gênero quanto a perspectiva sexual. Como se o problema entre as duas partes fossem apenas frutos de mal entendidos e de falta de esclarecimento semântico.
• Mas que fique bem claro uma coisa: não há compatibilidade entre a perspectiva de gênero e a perspectiva sexual. Não é uma questão apenas semântica, mas conceitual e epistemológica.
• Tomara que os nossos políticos em suas aproximações com o MEC não caiam no engodo de se fazer gambiarra no texto da BNCC porque pode não surtir o efeito esperado. Lembrem-se que não se desconstrói um texto tão cuidadosa e maliciosamente costurado com adendos, improvisações e remendos.
• Mais: Assim como não há mulher meio grávida; não há BNCC quase sem Ideologia de Gênero

Gostaria de pontuar algumas sugestões de ação para este grupo com relação à BNCC:
• Qualquer mobilização deverá acontecer dentro do mês de novembro, visto que a BNCC será homologada nos primeiros dias de dezembro.
• Fazer na SEGUNDA QUINZENA DE NOVEMBRO (de 16 a 30) um MUTIRÃO NACIONAL de divulgação e explicação ao povo sobre o que seja a BNCC. Muitos ainda não compreenderam que este documento é mais importante do que a “Lava Jato”, as “10 medidas contra a corrupção” e outras campanhas. 
• Enfatizar que a ideologia de gênero ESTÁ na BNCC e somente sairá de lá se houver um fato político extraordinariamente forte. Até agora, os ideólogos de gênero estão vencendo a queda de braços.
• Movimentar as redes sociais no sentido de fazer com que haja uma verdadeira avalanche, nesse período, de (re)publicações de vídeos, áudios, documentários, panfletos e artigos sobre ideologia de gênero. Promover uma saturação das redes sociais com essa temática, nesta reta final da BNCC.
• Movimentar deputados estaduais e vereadores de todo o país para que TODAS as assembleias legislativas e as câmaras de vereadores de TODAS as capitais OFICIOS para o MEC, o CNE, o Presidente da Câmara dos Deputados e o Presidente Temer 
• As Assembleias Legislativas Goiás, do Distrito Federal e de Minas Gerais JÁ SE MANIFESTARAM OFICIALMENTE, conforme links abaixo. Que os demais estados e capitais sigam o mesmo exemplo, podendo usar o mesmo texto.
Neste link, referência ao ofício do dep. Delmasso (DF)

Neste link, referência ao ofício do dep. Francisco Júnior (GO)

Neste link, referência a Minas Gerais:

E este

• Além de TODAS as assembleias legislativas e TODAS as câmaras de vereadores das capitais, que sejam mobilizadas as demais câmaras de vereadores do país, o maior número possível. A promoção de uma avalanche de ofícios.
• Orientem aos parlamentares interessados a buscarem informações e o modelo nos gabinetes dos deputados estaduais Rodrigo Delmasso (DF) e Francisco Junior (GO).
• Mobilizar cantores e artistas cristãos para condenarem publicamente a ideologia de gênero na BNCC. Onde eles estão que não se manifestam?
• A equipe de pesquisas sobre a BNCC, da profa. Viviane Petinelli (BH), que faço parte, produziu materiais técnicos, de altíssima qualidade sobre a BNCC. Inclusive, foi entregue cópias desse material tanto ao ministro Mendonça quanto a membros do Conselho Nacional de Educação e também a deputados e senadores. Seria muito bom se esse material fosse popularizado e estudado Para tanto, pedimos a ajuda de todos no sentido estudá-lo, distribuí-lo e popularizá-lo. Principalmente entre os formadores de opinião.
Este é apenas um dos materiais:
• Movimentar os pastores presidentes das igrejas e convenções grandes e pequenas de todo o país para que eles acionem os seus deputados e também pressionem o presidente Temer neste último esforço pela base.
• Turbinar as petições públicas que circulam na internet. ( http://deolhonolivrodidatico.blogspot.com.br/…/a-3-versao-d… )

• Tem aumentado o número de manifestações pelas igrejas, inclusive nas ruas, e isto é bom. No entanto, os discursos são desfocados e genéricos: pela família, pelas crianças... Não desmereço estes esforços, mas do ponto de vista propagandístico deveríamos eleger um alvo. E não há alvo hoje maior e mais urgente do que a BNCC.
• Marcar dias específicos para fazer subir a hashtag “não ao gênero na BNCC”.
• Incentivar os internautas a publicarem fotos suas com cartazes contra a ideologia de gênero na BNCC (sou professor e sou contra..., sou médico, sou advogado, sou pai, sou mãe, etc)
• Incentivar a gravação de áudios e vídeos pelos internautas manifestando essa contrariedade.
• Constitui-se em desafio DESMASCARAR o discurso da militância de gênero que acusa os pacificamente contrários à aplicação da ideologia nas escolas de crianças e adolescentes de preconceituosos (e sem amor) contra pessoas de opção sexual e familiar diferente do padrão natural. 
• Mobilizar deputados federais, senadores, deputados estaduais, vereadores para que, durante esta quinzena (a última quinzena de oportunidade pela BNCC) eles se manifestem nas tribunas e nas suas redes sociais.
• Ideia Legislativa protocolada no Senado Federal pela advogada Rubenita Lessa pede que a BNCC, depois de finalizada no CNE, seja encaminhada ao Congresso Nacional. Esta ideia espera chegar ao número de 20.000 apoiantes para receber como relator, um dos senadores, e tramitar como Projeto de Lei.
Para assinar e ajudar na divulgação, acesse link: https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaoideia…

Vozes de expressão como esta precisam se levantar com urgência:

A imagem pode conter: texto

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

URGENTE, VAMOS VOTAR A FAVOR DO PROJETO E ACABAR COM ESSA DOUTRINAÇÃO. CASO CONTRÁRIO, OS PRÓPRIOS "PROFESSORES" IRÃO PAGAR EM JUÍZO POR SUA DOUTRINAÇÃO.

Família poderá processar escola e professor pelo ensino da ideologia de gênero: modelo de notificação extrajudicial

http://www.escolasempartido.org/artigos-top/552-notificacao-extrajudicial-servico-de-utilidade-publica


Em sala, professora zomba de 

“pobretões falando mal do socialismo”

Durante aula de filosofia para alunos do 1º ano do ensino médio, ela disse que 

apenas os ricos devem temer os socialistas


A professora prossegue debochando dos “pobres” que se opõem ao socialismo. “Aí o pobre diz assim ‘Tem que acabar com os socialistas’. O cara paga aluguel, o desgraçado!” , afirma ela.
http://www.gazetadopovo.com.br/educacao/em-sala-professora-zomba-de-pobretoes-falando-mal-do-socialismo-1p9p0kpwlj7a5b03axp3fhzrf/?utm_source=facebook&utm_medium=midia-social&utm_campaign=gazeta-do-povo



Resistindo à ideologia de Gênero - Guilherme Schelb

Dr. Guilherme Schelb
Procurador da República em Brasília, mestre em Direito Constitucional e especialista em segurança pública. Autor de diversos livros sobre educação, família e infância, entre eles: Manual do Professor, Orientações sobre sexualidade infantil, Conflitos e Violência na Escola e, Soluções de conflitos.

ATENÇÃO AO VÍDEO DO PROCURADOR DA REPÚBLICA



O Procurador da República Guilherme Schelb desenvolveu um modelo de “notificação extrajudicial” para que pais e/ou responsáveis protejam os filhos contra o ensino da Ideologia de Gênero pelas escolas. Por este simples documento, escolas e professores são notificados pelas famílias de processá-los por danos morais pelo ensino dessa ideologia que visa, através da educação, promover uma revolução sexual e familiar. Isto a partir das crianças e adolescentes.
Caso professores e escolas se recusem a assinar o documento, há duas atitudes que os pais e/ou responsáveis poderão tomar para que o documento tenha validade jurídica. A primeira, é dirigirem-se ao Cartório de Registro de Títulos e Documentos com o nome e endereço da escola, para que a escola seja comunicada via cartório. A segunda, é encaminharem a notificação em carta registrada com AR (aviso de recebimento) via Correios.
Esta notificação pode ser feita em 3 vias (a família guarda uma via e as outras são dadas à direção da escola e professores) por um familiar isoladamente ou por um grupo de pais.
Em algumas cidades, grupos de pais com filhos estudando numa mesma escola, criam grupos de whatsapp para troca de informações sobre a educação dos filhos e a vigilância quanto à doutrinação deles. Especialmente sobre a reconfiguração mental das crianças e adolescentes quanto aos valores familiares e sexuais.
Em todo o país, igrejas evangélicas e católicas têm distribuído cópias dessa notificação aos fiéis. Nessas igrejas, sacerdotes incentivam a formação de grupos de pais com filhos nas mesmas escolas para a entrega conjunta das notificações.
Para todo esse procedimento, não é necessária a presença de advogado.
Para que o pedido de indenização por danos morais seja efetivado, é preciso comprovar que a escola ou professor desobedeceram a notificação da família. Valem como prova filmagem, material didático trabalhado em sala de aula, confecção de cartazes, passeatas, filmes, apresentações teatrais, palestras ou tarefas/exercícios pedidos aos alunos.
Veja o caso de uma família do Distrito Federal que recebeu indenização de R$ 30.000,00 ( trinta mil reais) porque a filha teve acesso a material impróprio para sua idade:
Este blog “de olho no livro didático” se dispõe também a ajudar pais, pastores, padres e políticos que tenham dúvidas relacionadas a esse documento de notificação.
No último dia 27 de fevereiro, o Dr. Guilherme Schelb concedeu entrevista ao programa televisivo do pastor Silas Malafaia. O vídeo está no link abaixo.
ACOMPANHE A PÁGINA “INFÂNCIA E FAMÍLIA” DO PROCURADOR DA REPÚBLICA GUILHERME SCHELB
SOBRE OS LIVROS DIDÁTICOS/2016 DO MEC COM IDEOLOGIA DE GÊNERO PARA A PRIMEIRA FASE DO ENSINO FUNDAMENTAL (1º AO 5º ANO, CRIANÇAS DE 6 A 10 ANOS)
Esses livros chegaram às escolas de todo o país no início deste ano letivo com validade para 3 anos (2016/18). Escolas públicas, particulares e até confessionais. Eles já foram distribuídos aos alunos e estão sendo usados pelos professores em suas aulas.
Neste caso, somente as Câmaras Municipais poderão retirá-los mediante REQUERIMENTO às respectivas secretarias municipais de educação. É preciso que um vereador se interesse pelo assunto, preencha o requerimento e colha a assinatura da maioria dos seus pares.
Ao receberem o requerimento, as secretarias de educação orientam suas escolas sobre a melhor maneira de cumprir a determinação do legislativo municipal.
Este é o link que mostra livros de 2016 com ideologia de gênero:

MODELO DE NOTIFICAÇÃO EXTRAJUDICIAL “ANÔNIMA” DO ESCOLA SEM PARTIDO.
NESTA NOTIFICAÇÃO, NÃO HÁ NECESSIDADE DE IDENTIFICAÇÃO POR PARTE DOS PAIS.
O Procurador de São Paulo em Brasília, Miguel Nagib, fundador do Escola Sem Partido desenvolveu um modelo de notificação extrajudicial, com a vantagem de resguardar o anonimato dos pais e dos alunos. Mesmo assim, esse documento surte os mesmos efeitos daquele desenvolvido pelo Procurador da República Miguel Nagib.
Entrada para esse modelo de notificação:
Matérias relacionadas:
Vereadores podem rejeitar livros com ideologia de gênero em seus municípios.
Livros didáticos/2016 do MEC vêm com ideologia de gênero para crianças de 6 a 10 anos.
Base Nacional Comum Curricular tem mais de 50 referências à ideologia de gênero.
Base Nacional Curricular Bolivariana:
http://deolhonolivrodidatico.blogspot.com.br/2015/10/onde-estao-os-professores-deste-pais.html
Câmara Municipal de Goiânia retira livros didáticos/2016 do MEC com Ideologia de Gênero para crianças de 6 a 10 anos. (1º ao 5º ano)
Ideologia de Gênero: uma explicação
NOTIFICAÇÃO EXTRAJUDICIAL
Ilmo. Sr. Diretor
Professor___________________
Escola _____________________
(Estado), (cidade), ________ de _____________________de 20___.

Prezado Diretor (nome completo)
Eu, (nome completo pai/mãe ou o responsável), na qualidade de responsável legal pelo(a) Aluno(a) (nome completo e data de nascimento), matriculado nessa Ilustre instituição de ensino, cursando a série (identificar) na classe (descrever), conforme prescrito em Lei, venho informar o seguinte:
1. Conforme consta do Código Civil Brasileiro, todo cidadão de nosso país só adquiri a capacidade civil plena, ou seja, poderá praticar todos os atos da vida em sociedade, ao completar 18 anos. Neste mesmo sentido, o código Penal proíbe a realização ou indução de qualquer relação sexual com pessoa menor de 14 anos, presumindo-se tal prática em ato de violência;

2. É de conhecimento geral, o debate no âmbito nacional de nossa nação, sobre a IDEOLOGIA DE GÊNERO e várias outras propostas de apresentação para os alunos da rede de ensino, tanto das instituições publicas quanto das particulares, sobre temas relacionados aos comportamentos sexuais (homossexualismo, bissexualismo, transsexualismo, etc.) e ainda relativos à sexualidade de pessoas adultas, como a prostituição, masturbação, entre outros atos libidinosos.
3. Vale ressaltar que os legisladores, representantes escolhidos pelo povo brasileiro, em sua sapiência, balizaram as faixas etárias no que diz respeito a divulgação e ensino, esses marcos são os referenciais, prescritos em lei, para a ministração de aulas e abordagem nas instituições de ensino. Esse balizamento legal, impõe limites para apresentação e abordagem de todos os temas relacionados aos comportamentos sexuais especiais e a autonomia sexual e de reprodução.
4. Conforme dispõe a Convenção Americana de Direitos Humanos, o qual a nação brasileira é signatária, em seu Artigo 12 – 4. OS PAIS, E QUANDO FOR O CASO OS TUTORES, TÊM O DIREITO A QUE SEUS FILHOS OU PUPILOS RECEBAM A EDUCAÇÃO RELIGIOSA E MORAL QUE ESTEJA DE ACORDO COM SUAS PRÓPRIAS CONVICÇÕES., assim, é direito incontestável dos pais `formação moral e religiosa de seus filhos. Tal direito é chancelado pela mais alta Corte de nossa nação (STF – SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL);
5. E mais, o Código Civil determina que os pais têm o dever e a responsabilidade no sustento material e moral de seus filhos, e ainda, o dever de cria-los e educa-los (art. 1.634- Compete a ambos os pais, qualquer que seja a sua situação conjugal, o pleno exercício do poder familiar, que consiste em, quanto aos filhos: I – dirigir-lhes a criação e a educação;), até porque é ônus dos pais arcar civilmente com o pagamento de indenização pelos atos danosos a terceiros que os filhos praticarem (art. 932-São também responsáveis pela reparação civil: I – os pais, pelos filhos menores que estiverem sob sua autoridade e em sua companhia;).
6. Nesse diapasão, a responsabilidade das instituições de ensino, são objetivas e independentes de culpa. Assim, a escola que violar, incluindo seus membros diretores, professores e demais funcionários, por qualquer meio, os direitos pétreos dos pais, poderá ser acionado judicialmente por danos morais, sem prejuízo de ser acionado civilmente por danos à formação psicológica da criança. O Estatuto da criança e adolescente (ECA) exige que toda informação e/ou publicação dirigida a criança, inclusive livros didáticos, respeitem os valores éticos da família (Art. 79- As revistas e publicações destinadas ao público infanto-juvenil não poderão conter ilustrações, fotografias, legendas, crônicas ou anúncios de bebidas alcoólicas, tabaco, armas e munições, e deverão respeitar os valores éticos e sociais da pessoa e da família.) e, a Constituição Federal não só reconhece como protege tais direitos (art. 21, inciso XVI e art. 220 §3º, inciso I), em razão da fragilidade psicológica de uma criança.
7. Todas as instituições de ensino são subordinadas as regras legais acima descritas, inclusive as propostas pela Constituição Federal e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (lei federal nº 9.394/96), sendo passiveis de controle e repreensão jurisdicional.
Por tudo quanto exposto e informado, é a presente, para NOTIFICAR V.Sa. e aos ILUSTRES PROFESSORES QUE COMPÕEM O QUADRO DOCENTE desta Prezada instituição de Ensino, que:
NÃO CONCORDO COM A IDEOLOGIA DE GÊNERO E NÃO AUTORIZO, SEM MEU E EXPRESSO CONSENTIMENTO, COM RESPEITO AO MEU DIREITO LEGAL NA FORMAÇÃO MORAL DE MEU FILHO(A), RESPEITANDO A SUA FRAGILIDADE PSICOLÓGICA E CONDIÇÃO DE PESSOA EM DESENVOLVIMENTO, A APRESENTAÇÃO DESTES TEMAS RELACIONADOS AOS COMPORTAMENTOS SEXUAIS (HOMOSSEXUALISMO, BISSEXUALISMO, TRANSSEXUALISMO, ETC.) E AINDA RELATIVOS À SEXUALIDADE DE PESSOAS ADULTAS, COMO A PROSTITUIÇÃO, MASTURBAÇÃO, ENTRE OUTROS ATOS LIBIDINOSOS, A MEU FILHO(A), AINDA QUE DE FORMA ILUSTRATIVA OU INFORMATIVA, SEJA POR QULAQUER MEIO DE COMUNICAÇÃO OU ORIENTAÇÃO, ATRAVES DE VIDEOS, EXPOSIÇÃO VERBAL, MUSICA, LIVRO DE LITERATURA OU MATERIAL DIDÁTICO.
Assim, ficam os Ilustres NOTIFICADOS, de tudo quanto acima exposto, sendo a mesma, útil para que V.Sa., Professores, Funcionários e Prestadores de Serviço, possam se proteger de políticas públicas e materiais didáticos ilegais e abusivos, deixando bem esclarecido que a responsabilidade de indenizar os danos morais, e, sofre as cominações penais impostas pela lei, são de todos os envolvidos.

_______________________________________________
(NOME DO PAI/MÃE OU RESPNSÁVEL LEGAL)



Professora Marcia Valeria:
 BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR  NÃO É LEI, É BASE. O PROFESSORA QUE SEGUIR NA DOUTRINAÇÃO COM DIVERSIDADE E IDEOLOGIA E FOR PROCESSADO O MEC NÃO SE RESPONSABILIZARÁ. UMA PROFESSORA FOI PROCESSADA A PAGAR A FAMÍLIA 30 MIL REAIS, TE PERGUNTO: QUANTOS ALUNOS TEM EM SUA SALA DE AULA?  ACORDA ARREBENTA PARA O LADO MAIS FRACO E SINDICATO NENHUM IRÁ TE AJUDAR!
A Educação do Brasil está tão voltada para diversidade e ideologia de gênero que já não interessa muito os alunos se formarem para futuros Profissionais. Vamos nos dedicarmos mais ao aprendizado e não a DESINFORMAÇÃO E MILITAR O POLITICAMENTE CORRETO, acabando com nossas crianças e jovens!  

Em 79º lugar, Brasil estaciona no ranking de desenvolvimento humano da ONU
País registrava crescimento do IDH desde 2010, mas manteve mesmo patamar entre 2014 e 2015.
 Nações Unidas divulgaram nesta terça ranking de desenvolvimento com 188 países.


Mais informações: 
https://www.programaescolasempartido.org/
https://www.facebook.com/escolasempartidooficial/
https://www.facebook.com/evangelicospeloescolasempartido/
https://www.facebook.com/ensinarsemdoutrinar/
https://www.facebook.com/emconexaocomomundo/

A imagem pode conter: texto

Professora de história antifeminista 
processa orientadora por "perseguição".



                                          

https://educacao.uol.com.br/noticias/2017/03/31/professora-de-historia-antifeminista-processa-orientadora-por-perseguicao.htm?cmpid=copiaecola


Portal do Mec com audiências da BNCC
http://portal.mec.gov.br/component/tags/tag/36402


"Saiba mais sobre a votação do projeto "Escola sem Partido" e de outras matérias que estão na pauta da Comissão de Educação desta terça-feira (21): http://bit.ly/2mIGKvL

Qual a sua opinião sobre o projeto? Vote: http://bit.ly/PLS193-2016"

A imagem pode conter: texto

https://www.facebook.com/SenadoFederal/photos/a.176982505650946.49197.150311598318037/1973832455965933/?type=3&theater




PESQUISE POSTAGENS NO SITE

Filmes Educacionais

  • Escritores da Liberdade
  • Filhos do Silêncio
  • Meu Mestre minha Vida
  • Nell
  • O Livro Perigoso
  • O Milagre de Anna Sullivan
  • O Nome da Rosa
  • O Triunfo
  • O Óleo de Lorenzo
  • Sociedade dos Poetas Mortos

Contadores

"Feliz aquele que transfere o que sabe
e aprende o que ensina."
(Cora Coralina)

Feliz Dia das Crianças para todos!
Responsabilidade, Honestidade e Pontualidade faz parte de nossas vidas e temos que estar atentos para não pecarmos nessas áreas. Isso faz parte do ser adulto. Mas nada nos impede de sermos crianças em alguns momentos, principalmente na humildade e sinceridade. Só que a sinceridade as vezes ofende, pois as pessoas não estão preparadas para ouvirem a verdade, mesmo que venha da boca de uma criança.

Professora Marcia Valeria-2010.

CANAL - Professora Marcia Valeria

Loading...

ACESSOS...



1.000.000 Acessos

Meus Agradecimentos...


16/11/2013 - 1.500.000 Acessos! Obrigada Senhor!




Recent Visitors