LUMINOSO

PLAY- CLIQUE PARA OUVIR A WEB RÁDIO CONEXÃO,NET

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Língua Portuguesa - Fundamental - 6º a 9º

Orientações Pedagógicas


EIXO TEMÁTICO:
CompreensÃo e ProduÇÃo de Textos e Suportes
Tema 1:
Gêneros e discursos
Sub-tema:
Tópico 19:
Organização textual do discurso injuntivo (instrucional, de aconselhamento, prescritivo ou normativo)

Baixe o módulo original em PDF



Porque estudar o tópico

O discurso injuntivo caracteriza-se por fazer com que seu interlocutor aja em determinada direção. Esse agir se relaciona, em geral, à execução de uma tarefa. As necessidades da vida moderna são um campo privilegiado para o surgimento, o desenvolvimento e a circulação desses gêneros textuais, o que faz com que o discurso injuntivo se vincule às condições do sistema sociocultural do qual se faz parte. São, por exemplo, embalagens, bulas, manuais, cartões, panfletos, receitas, dentre outros que, de algum modo, instituem e consolidam convenções sociais, ditam regras e orientam condutas. Diante da ação principal (macroobjetiva) a ser executada, são realizados comandos que indicam o que o leitor deve fazer (microações). Todas as informações constantes no texto encontram-se organizadas de modo a orientar uma ação determinada. Desse modo, os gêneros onde esse discurso se manifesta são reveladores das relações de poder que estruturam a sociedade e determinam os lugares sociais legitimados por um sistema. Compreender como esses textos se organizam e que função comunicativa exercem nas práticas discursivas é, mais do que uma necessidade, uma exigência, uma vez que o texto de natureza injuntiva permeia grande parte das nossas ações discursivas na sociedade.

Condições prévias para ensinar
O aluno precisa conhecer o funcionamento enunciativo do discurso injuntivo, dada a sua especificidade. Como são gêneros de fácil identificação, o importante é esclarecer com o esse texto se organiza, uma vez que possui um esquema cognitivo prototípico: exposição do macroobjetivo, apresentação dos comandos e justificativa. Uma vez reconhecendo a função e a estrutura desses gêneros, identificar em cada parte do esquema do gênero injuntivo, quais são as ações a serem desenvolvidas. Ao identificar o provável enunciador, precisa estabelecer relações entre os dados do texto e o contexto social mais amplo, para ampliar a compreensão das relações de poder e dos processos gerais de recepção e de produção de texto na sociedade.
O que estudar
TÓpico e subtÓpicos de conteÚdo
Habilidades
19. Organização textual do discurso injuntivo (instrucional, de aconselhamento, prescritivo ou normativo):
¯ Locutor e focalização temática.
¯ Fases ou etapas:
• exposição do macrobjetivo acional: indicação de um objetivo geral a ser atingido sob a orientação de um plano de execução, ou seja, de um conjunto de comandos;
• apresentação dos comandos: disposição de um conjunto de ações (seqüencialmente ordenadas ou não) a ser executado para que se possa atingir o macrobjetivo;
• justificativa: esclarecimento por parte do produtor do texto dos motivos pelos quais o destinatário deve seguir os comandos estabelecidos;
¯ Estratégias de organização:
• plano de execução cronologicamente ordenada;
• plano de execução não cronologicamente ordenada.
¯ Coesão verbal:
• valores do presente do indicativo, do modo imperativo e seus substitutos (infinitivo e gerúndio);
¯ Conexão textual:
• marcas lingüísticas e gráficas da articulação do discurso injuntivo com outros discursos e seqüências do texto;
• marcadores textuais da progressão/segmentação temática: articulações hierárquicas, temporais e/ou lógicas entre as fases ou etapas do discurso injuntivo.
¯ Coesão nominal:
• estratégias de introdução temática;
• estratégias de manutenção e retomada temática.
19.1. Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, no discurso injuntivo, mecanismos de focalização temática adequados ao efeito de sentido pretendido.
19.2. Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, as fases ou etapas do discurso injuntivo.
19.3. Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, estratégias de organização do discurso injuntivo.
19.4. Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, mecanismos de coesão verbal no discurso injuntivo.
19.5. Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, marcas lingüísticas e gráficas de conexão textual no discurso injuntivo.
19.6. Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, mecanismos de coesão nominal no discurso injuntivo.

Como ensinar
Listamos a seguir sugestões de atividades [1] por subtópico, as quais você poderá desenvolver em classe com os alunos nas práticas de compreensão e produção de textos narrativos.

Locutor e focalização temática
• Identificar expressões indicativas do ângulo de visão do locutor.
• Identificar expressões indicativas de orientações de ações determinadas localizadas no discurso injuntivo.
Fases ou etapas
• Identificar as fases de uma seqüência injuntiva apresentada.
• Identificar marcas lingüísticas de articulação entre fases de uma seqüência injuntiva.
• Reordenar partes de uma seqüência injuntiva apresentadas fora de ordem.
• Avaliar se as fases presentes em uma determinada seqüência injuntiva são suficientes para produzir sentido.
• Redigir comandos para um macrobjetivo apresentado.
• Redigir um macrobjetivo para comandos apresentados.
• Redigir uma justificativa para um macrobjetivo e correspondentes comandos apresentados.
• Avaliar a suficiência e a pertinência do macrobjetivo, dos comandos e da justificativa de uma seqüência injuntiva apresentada.
• Completar uma seqüência injuntiva a que falte uma das fases (macrobjetivo, comandos ou plano de execução, justificativa).

Estratégias de organização
• Identificar as fases de uma seqüência injuntiva instrucional com plano de execução cronologicamente ordenada.
• Identificar o modo verbal predominante dos comandos de execução cronologicamente ordenada e seus efeitos de sentido em textos instrucionais apresentados.
• Avaliar, em seqüências injuntivas instrucionais apresentadas, a necessidade de realização de todos os comandos para a obtenção de um resultado satisfatório.
• Ordenar cronologicamente comandos de uma seqüência injuntiva instrucional, justificando a ordenação feita.
• Avaliar a adequação (pertinência, suficiência e ordenação) dos comandos do plano de execução cronologicamente ordenada (o passo-a-passo) de uma seqüência injuntiva instrucional apresentada.
• Reordenar comandos do plano de execução de uma seqüência injuntiva instrucional apresentada, visando a torná-lo exeqüível.
• Justificar, em textos injuntivos instrucionais apresentados, a impossibilidade de diferentes seqüenciações dos comandos de execução cronologicamente ordenada.
• Elaborar os comandos necessários para tornar exeqüível (pertinente e suficiente) o plano de execução cronologicamente ordenada de um texto instrucional apresentado.
• Elaborar um plano de execução cronologicamente ordenada para uma seqüência injuntiva instrucional de um gênero especificado.
• Identificar marcas lingüísticas de seqüências injuntivas com plano de execução cronologicamente ordenada.
• Completar com marcadores lingüísticos adequados as lacunas de uma seqüência injuntiva com plano de execução cronologicamente ordenada.
• Produzir seqüências injuntivas instrucionais com plano de execução cronologicamente ordenada para um gênero especificado (receita culinária, manual de confecção, de montagem ou de operação de objetos, etc.).
• Identificar as fases de uma seqüência injuntiva de aconselhamento.
• Identificar o modo verbal predominante dos comandos de execução e seus efeitos de sentido em seqüências injuntivas de aconselhamento apresentadas.
• Avaliar, em seqüências injuntivas de aconselhamento apresentadas, a necessidade de realização de todos ou de apenas alguns dos comandos para a obtenção de um resultado satisfatório.
• Reordenar comandos de um texto injuntivo de aconselhamento apresentados fora de ordem.
• Justificar a possibilidade de diferentes seqüenciações dos comandos em textos injuntivos de aconselhamento (execução não cronologicamente ordenada). (EM)
• Explicar a diferença entre seqüências injuntivas instrucionais e seqüências injuntivas de aconselhamento apresentadas quanto à garantia da consecução dos objetivos a partir da realização dos comandos propostos. (EM)
• Avaliar a pertinência dos comandos de uma seqüência injuntiva de aconselhamento apresentada.
• Elaborar comandos pertinentes para uma seqüência injuntiva de aconselhamento.
• Identificar marcas lingüísticas de seqüências injuntivas de aconselhamento.
• Produzir seqüências injuntivas de aconselhamento para um gênero especificado.
• Identificar as fases de uma seqüência injuntiva de prescrição ou regulamentação. (EM)
• Identificar o modo verbal predominante dos comandos de execução e seus efeitos de sentido em seqüências injuntivas prescritivas apresentadas.
• Avaliar, em seqüências injuntivas prescritivas apresentadas, a necessidade de realização de todos os comandos ou de apenas alguns deles para atender ao macrobjetivo. (EM)
• Avaliar, em seqüências injuntivas prescritivas apresentadas, a necessidade ou não de realização cronologicamente ordenada dos comandos para atender ao macro-objetivo. (EM)
• Reordenar comandos de um texto injuntivo prescritivo apresentados fora de ordem, justificando a reordenação feita. (EM)
• Justificar a possibilidade de diferentes seqüenciações dos comandos em textos injuntivos prescritivos (execução não-ordenada). (EM)
• Explicar a diferença entre seqüências injuntivas prescritivas, instrucionais e de aconselhamento apresentadas quanto à garantia da consecução dos objetivos a partir da realização dos comandos propostos. (EM)
• Avaliar a pertinência dos comandos de uma seqüência injuntiva prescritiva apresentada. (EM)
• Redigir comandos pertinentes para uma seqüência injuntiva prescritiva. (EM)
• Identificar marcas lingüísticas de seqüências injuntivas prescritivas.
• Redigir seqüências injuntivas prescritivas para textos de gêneros especificados (regimentos, estatutos, etc.).
Coesão verbal
• Identificar os tempos verbais básicos na organização do discurso injuntivo
• Empregar adequadamente os tempos verbais na organização do discurso injuntivo.
• Identificar e corrigir, em discursos injuntivos, inconsistências de coesão verbal.
• Produzir discursos injuntivos coretos do ponto de vista da coesão verbal.
Conexão textual
• Identificar marcas lingüísticas que orientem a progressão de uma seqüência injuntiva em certa direção.
• Avaliar a adequação de marcadores de articulação semântica e discursiva utilizados em uma seqüência injuntiva. (EM)

Coesão nominal
• Identificar marcas lingüísticas de coesão nominal (remissões nominais e pronominais) e seus efeitos de sentido.
• Interpretar o efeito de sentido de repetições e substituições lexicais na retomada temática.
[1] - As atividades marcadas com a sigla EM devem ser realizadas, preferencialmente, por alunos do Ensino Médio; as demais devem ser realizadas desde o Ensino Fundamental.

Como avaliar
Temos insistido no seguinte: as atividades que servem para ensinar e aprender também podem ser utilizadas para a avaliação.
Deste modo, as atividades acima listadas podem, perfeitamente, se adequar ao processo de avaliação do discurso injuntivo. É importante que o professor procure avaliar se o aluno leitor/produtor do texto injuntivo consegue estabelecer relações entre os dados do texto e o contexto de alcance social deste.
E ainda, se o aluno reconhece e usa as fases e estratégias de organização do discurso injuntivo.

Orientação Pedagógica: Organização textual do discurso injuntivo (instrucional, de aconselhamento, prescritivo ou normativo)
Currículo Básico Comum - Português Ensino Médio
Autor(a): Leiva de Figueiredo Viana Leal
Centro de Referência Virtual do Professor - SEE-MG/2005


Organizado por: Professora Marcia Valeria

PESQUISE POSTAGENS NO SITE

Filmes Educacionais

  • Escritores da Liberdade
  • Filhos do Silêncio
  • Meu Mestre minha Vida
  • Nell
  • O Livro Perigoso
  • O Milagre de Anna Sullivan
  • O Nome da Rosa
  • O Triunfo
  • O Óleo de Lorenzo
  • Sociedade dos Poetas Mortos

Contadores

"Feliz aquele que transfere o que sabe
e aprende o que ensina."
(Cora Coralina)

Feliz Dia das Crianças para todos!
Responsabilidade, Honestidade e Pontualidade faz parte de nossas vidas e temos que estar atentos para não pecarmos nessas áreas. Isso faz parte do ser adulto. Mas nada nos impede de sermos crianças em alguns momentos, principalmente na humildade e sinceridade. Só que a sinceridade as vezes ofende, pois as pessoas não estão preparadas para ouvirem a verdade, mesmo que venha da boca de uma criança.

Professora Marcia Valeria-2010.

CANAL - Professora Marcia Valeria

Loading...

ACESSOS...



1.000.000 Acessos

Meus Agradecimentos...


16/11/2013 - 1.500.000 Acessos! Obrigada Senhor!




Recent Visitors