LUMINOSO

PLAY- CLIQUE PARA OUVIR A WEB RÁDIO CONEXÃO,NET

domingo, 5 de dezembro de 2010

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL- CONTINUAÇÃO...

PERÍODO IMPERIAL (1822 - 1888)








      Para o professor Lauro de Oliveira Lima a vinda da Família Real representou a verdadeira "descoberta do Brasil" (Lima, [197_], 103). Ainda segundo o professor Lauro, "a 'abertura dos portos', além do significado comercial da expressão, significou a permissão dada aos 'brasileiros' (madereiros de pau-brasil) de tomar conhecimento de que existia, no mundo, um fenômeno chamado civilização e cultura" (Idem)
      Em 1820 o povo português mostra-se descontente com a demora do retorno da Família Real e inicia a Revolução Constitucionalista, na cidade do Porto. Isto apressa a volta de D. João VI a Portugal em 1821. Em 1822, a 7 de setembro, seu filho D. Pedro I declara a Independência do Brasil e, inspirada na Constituição francesa, de cunho liberal, em 1824 é outorgada a primeira Constituição brasileira. O Art. 179 desta Lei Magna dizia que a "instrução primária e gratuita para todos os cidadãos".
      Em 1823, na tentativa de se suprir a falta de professores institui-se o Método Lancaster, ou do "ensino mútuo", onde um aluno treinado (decurião) ensina um grupo de dez alunos (decúria) sob a rígida vigilância de um inspetor.
      Em 1826 um Decreto institui quatro graus de instrução: Pedagogias (escolas primárias), Liceus, Ginásios e Academias. E, em 1827 um projeto de lei propõe a criação de pedagogias em todas as cidades e vilas, além de prever o exame na seleção de professores, para nomeação. Propunha ainda a abertura de escolas para meninas.
      Em 1834 o Ato Adicional à Constituição dispõe que as províncias passariam a ser responsáveis pela administração do ensino primário e secundário. Graças a isso, em 1835, surge a primeira escola normal do país em Niterói. Se houve intenção de bons resultados não foi o que aconteceu, já que, pelas dimensões do país, a educação brasileira se perdeu mais uma vez, obtendo resultados pífios. Em 1880 o Ministro Paulino de Souza lamenta o abandono da educação no Brasil, em seu relatório à Câmara. Em 1882 Ruy Barbosa sugere a liberdade do ensino, o ensino laico e a obrigatoriedade de instrução, obedecendo as normas emanadas pela Maçonaria Internacional.
      Em 1837, onde funcionava o Seminário de São Joaquim, na cidade do Rio de Janeiro, é criado o Colégio Pedro II, com o objetivo de se tornar um modelo pedagógico para o curso secundário. Efetivamente o Colégio Pedro II não conseguiu se organizar até o fim do Império para atingir tal objetivo.
      Até a Proclamação da República, em 1889 praticamente nada se fez de concreto pela educação brasileira. O Imperador D. Pedro II quando perguntado que profissão escolheria não fosse Imperador, respondeu que gostaria de ser "mestre-escola". Apesar de sua afeição pessoal pela tarefa educativa, pouco foi feito, em sua gestão, para que se criasse, no Brasil, um sistema educacional.





(Cronologia)



ANO HISTÓRIA
DA EDUCAÇÃO
BRASILEIRA
HISTÓRIA
DO
BRASIL
HISTÓRIA
GERAL
DA EDUCAÇÃO
HISTÓRIA
DO
MUNDO
1821   · Anexação da Província Cisplatina.
· D. João VI retorna a Portugal, deixando D. Pedro como Príncipe Regente.
   
1822 · O Decreto de 1o de março criava no Rio de Janeiro uma escola baseada no método lancasteriano ou de ensino mútuo. Ou seja, somente um professor para cada escola. · D. Pedro declara a Independência do Brasil, tornado-se o primeiro Imperador do Brasil com o título de D. Pedro I.    
1824 · A Constituição, outorgada pela Assembléia Constituinte, dizia, no seu artigo 179, que a instrução primária era gratuita a todos os cidadãos.      
1825 · É criado o Ateneu do Rio Grande do Norte.
· É criado um curso jurídico provisório na Corte.
· Portugal e Inglaterra reconhecem a Independência do Brasil.
 
  · Início da luta pela independência do Uruguai.
 
1827 · São criados os cursos de Direito de São Paulo e Olinda.
· É criado o Observatório Astronômico.
· Uma Lei Geral, de 15 de outubro, dispõe sobre as escolas de primeiras letras, fixando-lhes o currículo e institui o ensino primário para o sexo feminino.
· Começa a circular o jornal A Aurora Fluminense.
· Os brasileiros lutam contra tropas argentinas e uruguaias pela posse da Província Cisplatina.
· Um ano depois é assinado um tratado de paz entre as partes, reconhecendo a Independência do Uruguai.
  · O inglês John Dalton apresenta a primeira formulação da teoria atômica.
 

 


 
1829     · O Professor Louis Braille, cego desde os três anos, cria um sistema de leitura para cegos, em Paris.
 
· O Papa Pio VIII sucede o Papa Leão XII.
· Em Maryland, nos Estados Unidos, a Companhia de Estrada de Ferro inicia a primeira linha de passageiros.
1830   · Uma Resolução do Senado declara livres os índios selvagens prisioneiros de guerra escravizados.   · Michael Faraday, cientista inglês, descobre a indução magnética.
· Distúrbios de operários têxteis na Inglaterra.
· Morre Simon Bolívar, herói da Independência de vários países hispânicos.
1831   · Noite das Garrafadas.
· D. Pedro I abdica em favor de seu filho D. Pedro II, então com oito anos.
· Em Recife eclode as rebeliões conhecidas como Setembrizada e Novembrada, em função da abdicação de D. Pedro I.
· Constituição da Primeira Regência Trina Provisória, composta pelos Senadores Carneiro de Campos, Campos Vergueiro e pelo Brigadeiro Francisco de Lima e Silva.
· Uma Lei declara livres todos os escravos que entrassem no Brasil após esta data.
  · O botânico inglês Robert Brown descobre o núcleo das células.
· Morre de cólera o filósofo alemão Georg Wilhelm Friedrich Hegel.
 

 


 
1832 · Convertem·se em Faculdades de Medicina, as Academias Médico-Cirúrgicas do Rio de Janeiro e da Bahia. · Ainda em função da abdicação de D. Pedro I, eclode em Recife a revolta conhecida como Abrilada e a Guerra dos Cabanos.    
1834 · O Ato Adicional da reforma constitucional dizia que a educação primária e secundária ficaria a cargo das províncias, restando a administração nacional o ensino superior. · O Ato Adicional estabelece a eleição de um só Regente.
· Revolta da Cabanagem, no Pará.
· Revolta das Cameiradas, em Recife.
  · A escravidão é abolida em todo o Império Britânico.
· Morre em Portugal D. Pedro I.
1835 · É criada uma escola normal em Niterói. A primeira do Brasil. · Regência Una com a eleição de Diogo Antônio Feijó.
· Tem início a Guerra dos Farrapos, no Rio Grande do Sul.
· Eclode a Revolta do Malês, na Bahia.
   
1836 · É criada uma escola normal na Bahia.
· São criados os Liceus da Bahia e da Paraíba.
     
1837   · Tem início a revolta conhecido como Sabinada, na Bahia.
· Em substituição a Feijó, assume a Regência Pedro de Araújo Lima.
   
1838 · O Colégio Pedro II é fundado no Rio de Janeiro. · Tem início a revolta conhecida como Balaiada, no Maranhão.   · Surgem na Inglaterra os primeiros sindicatos (trade union)
1839 · É criada uma escola normal no Pará.     · Inglaterra e China envolve·se no conflito conhecido por Guerra do Ópio. Vencida a guerra pelos Ingleses a China é obrigada a transferir a posse de Hong Kong para os britânicos.
· As mães inglesas, separadas ou divorciadas, passam a ter acesso aos seus filhos.
· As mulheres conquistam o direito de ter propriedades nos Estados Unidos.
· É construída a primeira locomotiva elétrica pelo americano Charles Page.
1840   · Aos 14 anos de idade D. Pedro II torna-se Imperador do Brasil.    
1844       · Samuel Morse cria a mensagem telegráfica através de um código de sinais de sons.
1845 · É criada uma escola normal no Ceará.     · A Inglaterra promulga a Bill Aberdeen, que lhe dá o direito de aprisionar qualquer embarcação que traficasse escravos.
· Karl Marx é expulso da França e muda-se para Bruxelas.
1846 · É criada uma escola normal em São Paulo.     · O dentista William Morton utiliza pela primeira vez uma anestesia local numa cirurgia.
1848 · É criada uma escola normal em São Paulo. · Setores radicais do Partido Liberal pernambucano inicia a Revolta Praieira.   · Karl Marx e Friedrich Engels publicam o Manifesto do Partido Comunista.
1849 · Gonçalves Dias, encarregado de estudar as condições do ensino nas Províncias do Norte dizia que "os nossos liceus são escolas preparatórias da academia e escolas más".      
ANO HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA HISTÓRIA DO BRASIL HISTÓRIA GERAL DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA DO MUNDO
1850   · A Lei Eusébio de Queiroz acaba com o tráfico de escravos.
· Chegam no Rio de Janeiro os bondes puxados por cavalos.
   
1852 · Gonçalves Dias, em seu relatório de inspeção, dizia: "Quero crer perigoso dar·se·lhes (aos aldeados) instrução". · Inauguração das primeiras linhas telegráficas no Brasil.    
1854 · O Decreto 1331A, de 17 de fevereiro, reforma os ensinos primário e secundário, exigindo professores credenciados e a volta da fiscalização oficial; cria a Inspetoria Geral da Instrução Primária e Secundária.
· É criada uma escola normal na Paraíba.
· Barão de Mauá constrói a primeira ferrovia brasileira, no Rio de Janeiro.    
1857 · No Rio Grande do Sul, no Colégio de Artes Mecânicas, a lei mandava recusar matrículas às crianças de cor preta e aos escravos e pretos, "ainda que libertos e livres".      
1864 · No Rio Grande do Sul, no Colégio de Artes Mecânicas, a lei mandava recusar matrículas às crianças de cor preta e aos escravos e pretos, "ainda que libertos e livres". · Paraguai declara guerra ao Brasil.   · É criada a I Internacional dos Trabalhadores, dirigida por Karl Marx.
1870 · A Reforma Paulino de Souza pretendia imprimir, aos estudos realizados no Colégio Pedro II, um caráter formativo, habilitando os alunos não só para os estudos superiores, mas para a vida, além da instituição ser capaz de competir com os estabelecimentos particulares no aliciamento de candidatos às Academias.
· É criada a primeira escola confessional protestante, a Escola Americana, escola primária de cunho presbiteriano.
· É criada uma escola normal no Rio Grande do Sul.
· Tem início a imigração italiana. · Nasce em Chiaravalle, província de Ancona, na Itália, Maria Montessori. · Acontece a unificação italiana.
1871   · A Lei do Ventre Livre liberta os filhos de escravos.   · É instituída a Comuna de Paris que dura 72 dias.
1872 · O Brasil contava com uma população de 10 milhões de habitantes e apenas 150.000 alunos matriculados em escolas primárias. O índice de analfabetismo era de 66,4%. · Fanáticos religiosos do Rio Grande do Sul iniciam o que ficou chamado como a Revolta dos Mucker.    
1873 · Com o objetivo de estimular o desenvolvimento dos estudos secundários nas províncias e de facilitar aos candidatos das províncias o acesso aos cursos superiores, o Ministro João Alfredo Correia de Oliveira instalou nas capitais das províncias do Império bancas de exames gerais preparatórios.      
1874 · É criada a Escola Politécnica.      
1878 · O Conselheiro Leôncio de Carvalho realiza uma reforma do ensino que permitia "a cada um expor livremente suas idéias e ensinar as doutrinas que acredite verdadeiras, pelos métodos que julgue melhores". Além disso manteve as matrículas avulsas e introduziu a freqüência livre e os exames vagos no Externato do Colégio Pedro II.      
1879 · O Senador Oliveira Junqueira dizia: "certas matérias, talvez, não sejam convenientes para o pobre; o menino pobre deve ter noções muito simples". · Começa a funcionar a Companhia Telephonica Brasileira. Em 1876 D. Pedro II conheceu o telefone, na Exposição de Filadélfia, e no ano seguinte instalou a primeira linha, na cidade do Rio de Janeiro.    
1880 · Surge a primeira escola normal da Capital do Império, mantida e administrada pelos Poderes Públicos.      
1881 · É criado o Colégio Piracicabano, confessional protestante de cunho metodista.      
1882 · Rodolfo Dantas cria um projeto propondo maior intervenção do Governo na instrução popular das províncias. Este projeto não chegou a ser discutido no Parlamento.      
1884 · É criada a Escola Neutralidade, escola primária de cunho positivista.     · A África é dividida pelas potências européias na Conferência de Berlim.
1885   · A Lei Saraiva-Cotegipe ou a Lei dos Sexagenários torna livres os escravos com mais de 60 anos.    
1888 · É criado o Instituto Pasteur, no Rio de Janeiro · A Lei Áurea abole a escravidão no Brasil.    
1889 · Ferreira Viana, Ministro do Império dizia ser fundamental formar "professores com a necessária instrução científica e profissional".
· Em sua última fala do trono Sua Majestade pedia empenho para a criação de um ministério destinado aos negócios da Instrução Pública.
· Com a Proclamação da República, no Governo Provisório do Marechal Deodoro da Fonseca, torna-se Ministro da Instrução Pública, Correios e Telégrafos Benjamin Constant Botelho de Magalhães.
· Os alunos matriculados nas escolas correspondem a 12% da população em idade escolar.
· O Marechal Deodoro da Fonseca proclama a República.
· D. Pedro II e sua família embarca para a Europa.
   



Referência:

LIMA, Lauro de Oliveira, Estórias da Educação no Brasil: de Pombal a Passarinho. 3. ed. Rio de Janeiro: Brasília, [197_].




PERÍODO DA PRIMEIRA REPÚBLICA
(1889 - 1929)








      A República proclamada adota o modelo político americano baseado no sistema presidencialista. Na organização escolar percebe-se influência da filosofia positivista.
      A Reforma de Benjamin Constant tinha como princípios orientadores a liberdade e laicidade do ensino, como também a gratuidade da escola primária. Estes princípios seguiam a orientação do que estava estipulado na Constituição brasileira.
      Uma das intenções desta Reforma era transformar o ensino em formador de alunos para os cursos superiores e não apenas preparador. Outra intenção era substituir a predominância literária pela científica.
      Esta Reforma foi bastante criticada: pelos positivistas, já que não respeitava os princípios pedagógicos de Comte; pelos que defendiam a predominância literária, já que o que ocorreu foi o acréscimo de matérias científicas às tradicionais, tornando o ensino enciclopédico.
      É importante saber que o percentual de analfabetos no ano de 1900, segundo o Anuário Estatístico do Brasil, do Instituto Nacional de Estatística, era de 75%.
      O Código Epitácio Pessoa, de 1901, inclui a lógica entre as matérias e retira a biologia, a sociologia e a moral, acentuando, assim, a parte literária em detrimento da científica.
      A Reforma Rivadávia Correa, de 1911, pretendeu que o curso secundário se tornasse formador do cidadão e não como simples promotor a um nível seguinte. Retomando a orientação positivista, prega a liberdade de ensino, entendendo-se como a possibilidade de oferta de ensino que não seja por escolas oficiais, e de freqüência. Além disso, prega ainda a abolição do diploma em troca de um certificado de assistência e aproveitamento e transfere os exames de admissão ao ensino superior para as faculdades. Os resultados desta Reforma foram desastrosos para a educação brasileira.
      A Reforma de Carlos Maximiliano, em 1915, surge em função de se concluir que a Reforma de Rivadávia Correa não poderia continuar. Esta reforma reoficializa o ensino no Brasil.
      Num período complexo da História do Brasil surge a Reforma João Luiz Alves que introduz a cadeira de Moral e Cívica com a intenção de tentar combater os protestos estudantis contra o governo do presidente Arthur Bernardes.
      A década de vinte foi marcada por diversos fatos relevantes no processo de mudança das características políticas brasileiras. Foi nesta década que ocorreu o Movimento dos 18 do Forte (1922), a Semana de Arte Moderna (1922), a fundação do Partido Comunista (1922), a Revolta Tenentista (1924) e a Coluna Prestes (1924 a 1927).
      Além disso, no que se refere à educação, forma realizadas diversas reformas de abrangência estadual, como a de Lourenço Filho, no Ceará, em 1923, a de Anísio Teixeira, na Bahia, em 1925, a de Francisco Campos e Mario Casassanta, em Minas, em 1927, a de Fernando de Azevedo, no Distrito Federal (atual Rio de Janeiro), em 1928 e a de Carneiro Leão, em Pernambuco, em 1928.
      O clima desta década propiciou a tomada do poder por Getúlio Vargas, candidato derrotado nas eleições por Julio Prestes, em 1930.
      A característica tipicamente agrária do país e as correlações de forças políticas vão sofrer mudanças nos anos seguintes o que trará repercussões na organização escolar brasileira. A ênfase literária e clássica de nossa educação tem seus dias contados.






(Cronologia)



ANO HISTÓRIA
DA EDUCAÇÃO
BRASILEIRA
HISTÓRIA
DO
BRASIL
HISTÓRIA
GERAL
DA EDUCAÇÃO
HISTÓRIA
DO
MUNDO
1889 · Ferreira Viana, Ministro do Império dizia ser fundamental formar "professores com a necessária instrução científica e profissional".
· Em sua última fala do trono Sua Majestade pedia empenho para a criação de um ministério destinado aos negócios da Instrução Pública.
· Os alunos matriculados nas escolas correspondem a 12% da população em idade escolar.
· O Marechal Deodoro da Fonseca proclama a República.
· D. Pedro II e sua família embarca para a Europa.
   
1890 · Com a Proclamação da República, no Governo Provisório do Marechal Deodoro da Fonseca, torna-se Ministro da Instrução Pública, Correios e Telégrafos Benjamin Constant Botelho de Magalhães.
· O Decreto 510, do Governo Provisório da República, diz, em seu artigo 62, item 5o, que "o ensino será leigo e livre em todos os graus e gratuito no primário".
· O índice de analfabetismo no Brasil é de 67,2%.
     
1891 · A Constituição estipula o ensino leigo nas escolas públicas, em oposição ao ensino religioso.
· É Ministro da Instrução Pública, Correios e Telégrafos João Barbalho Uchoa Cavalcanti.
· No Governo de Floriano Peixoto são Ministros da Instrução Pública, Correios e Telégrafos: José Higino Duarte Pereira (interino) e Fernando Lobo Leite Pereira.
· É promulgada a primeira Constituição da República.
· A Assembléia Constituinte elege o Marechal Deodoro da Fonseca Presidente e o Marechal Floiriano Peixoto, Vice·Presidente.
· Marechal Deodoro da Fonseca renuncia a Presidência e assume seu Vice Marechal Floriano Peixoto.
  · Morre em Paris D. Pedro II, ex·Imperador brasileiro.
1892 · É extinto o Ministério da Instrução e a educação passou a constituir uma diretoria do Ministério da Justiça e Negócios Interiores, sendo Ministros Inocêncio Serzedelo Correia (interino) e Alexandre Cassiano do Nascimento. · O militar Cândido Rondon inicia a instalação de linhas telegráficas no interior do Brasil.    
1893 · É criado, em São Paulo, o Instituto Adolfo Lutz e a Escola Politécnica. · No Rio de Janeiro eclode a Revolta da Armada contra a posse de Floriano Peixoto.
· No Rio Grande do Sul eclode a Revolta Federalista.
· O beato Antonio Conselheiro funda, no sertão da Bahia, o Arraial de Canudos.
   
1894 · São Ministros da Justiça e Negócios Interiores, no Governo Prudente de Morais: Antonio Gonçalves Ferreira, Alberto de Seixas Martins Torres, Bernadino José de Campos (interino) e Amaro Bezerra Cavalcanti. · O paulista Prudente de Moraes assume a Presidência da República.
· Charles Miller realiza em São Paulo a primeira partida de futebol entre funcionários de duas empresas.
   
1895 · É Criado o Museu Paulista.
· É criada a Escola de Engenharia do Mackenzie College, em São Paulo.
· É fundada a Academia Brasileira de Letras por Machado de Assis.
     
1897 · Os alunos da Escola Militar do Rio de Janeiro iniciam uma rebelião. · Morre Antonio Conselheiro e Canudos, no sertão da Bahia, é totalmente destruída.    
1898 · São Ministros da Justiça e Negócios Interiores, no Governo Campos Sales: Epitácio da Silva Pessoa e Sabino Alves Barroso Júnior. · O paulista Campos Sales é o presidente da República.    
1899 · É criado, em São Paulo, o Instituto Biológico, o Butantã, cuja direção foi confiada a Vital Brasil.      
ANO HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA HISTÓRIA DO BRASIL HISTÓRIA GERAL DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA DO MUNDO
1901 · É criado, no Rio de Janeiro, o Instituto Soroterápico Federal, ou a escola de Manguinhos, dirigido por Oswaldo Cruz.
· É criada a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, em Piracicaba.
     
1902 · São criadas, em São Paulo, as Escolas de Comércio Álvares Penteado e do Mackenzie College.
· São Ministros da Justiça e Negócios Interiores, no Governo Rodrigues Alves: José Joaquim Seabra e Félix Gaspar de Barros e Almeida.
· Realiza-se em São Paulo o primeiro Campeonato de Futebol do país.   · Cuba conquista sua independência da Espanha e cai num colonialismo imperialista dos Estados Unidos.
1906 · É Ministro da Justiça e Negócios Interiores, no Governo Afonso Pena: Augusto Tavares de Lyra.   · Maria Montessori abre no bairro de São Lourenço, periferia de Roma, na Itália a sua primeira Casa dei Bambini  
1907 · O Instituto Soroterápico Federal passa a se denominar de Instituto de Patologia Experimental.      
1909 · É Ministro da Justiça e Negócios Interiores, no Governo Nilo Peçanha: Esmeraldino Olímpio Torres Bandeira.
· A Confederação Operária Brasileira organiza comícios em protesto contra a execução de Francisco Ferrer, educador anarquista espanhol.
    · Henry Ford cria a linha de montagem para construir seus automóveis Ford.
1910 · São Ministros da Justiça e Negócios Interiores, no Governo Hermes da Fonseca: Rivadávia da Cunha Correia e Vladislau Herculano de Freitas. · Grupos de marinheiros, liderados pelo gaúcho João Cândido, assumem o comando de algumas embarcações ancoradas na Baía da Guanabara, iniciando a Revolta da Marinha ou a Revolta da Chibata.   · Tem início a Revolução Mexicana, liderada pelos camponeses Pancho Villa e Emiliano Zapata.
1911 · Surge a Lei Orgânica de Rivadávia Correia, estabelecendo o ensino livre e retirando do Estado o poder de interferência no setor educacional.      
1914 · É fundado o Centro de Estudos Sociais por José Oiticica e Fábio Luz.
· São Ministros da Justiça e Negócios Interiores, no Governo Venceslau Brás: Carlos Maximiliano Pereira dos Santos e Augusto Tavares de Lira (interino).
  · A Europa passa por um processo de reformas educacionais rompendo com o ensino tradicional. · Eclode a I Grande Guerra Mundial.
1915 · Conclui·se que a Lei Rivadávia Correia não poderia continuar. A Lei do Ministro Carlos Maximiliano reoficializa o ensino.      
1917 · Carneiro Leão publica "O Brasil e a Educação Popular".     · Tem início a Revolução Russa que destitui o Czar Nicolau II, vindo a assumir o poder os bolcheviques, sob a liderança de Lênin.
1918 · São Ministros da Justiça e Negócios Interiores, no Governo Delfim Moreira: Amaro Bezerra Cavalcanti de Albuquerque (interino) e Urbano Santos da Costa Araújo.      
1919 · São Ministros da Justiça e Negócios Interiores, no Governo Epitácio Pessoa: Alfredo Pinto Vieira de Melo e Joaquim Ferreira Chaves (interino).
· Carneiro Leão publica "Problemas de Educação".
     
ANO HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA HISTÓRIA DO BRASIL HISTÓRIA GERAL DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA DO MUNDO
1919 · São Ministros da Justiça e Negócios Interiores, no Governo Epitácio Pessoa: Alfredo Pinto Vieira de Melo e Joaquim Ferreira Chaves (interino).
· Carneiro Leão publica "Problemas de Educação".
    · O Tratado de Versalhes impõe severas penas a Alemanha em função da I Guerra Mundial.
1920 · Sampaio Dória realiza em São Paulo uma reforma tentando reconduzir a educação para novos métodos de ensino.
· O percentual de analfabetos no país referente a todas as idades é de 75% e na população de 15 anos e mais é de 65%.
     
1921   · O Presidente do Brasil é o paraibano Epitácio Pessoa, eleito em 1919.
· É fundada a primeira indústria siderúrgica brasileira, a Belgo·Mineira.
· É instituída uma lei de repressão ao anarquismo.
· É fundada na Inglaterra por Alexander Sutherland Neil, a escola Summerhill.
· A educadora italiana Maria Montessori edita o "Manual da Pedagogia Científica".
· Claparéde chama Jean Piaget para ser seu assistente no Instituto Jean·Jaques Rousseau e na "Maison des Petits", em Genebra.
· É fundado o Partido Comunista Chinês.
· É assinado o acordo de partilha da Irlanda, permanecendo o Ulster como província britânica e o Estado Livre Irlandês.
1922 · São Ministros da Justiça e Negócios Interiores, no Governo Artur Bernardes: João Luiz Alves, José Félix Alves Pacheco (interino), Aníbal Freire da Fonseca (interino) e Afonso Augusto Moreira Pena Júnior.
· O educador Carneiro Leão inicia uma reforma educacional no Rio de Janeiro, então Distrito Federal.
· José Augusto publica "Eduquemo·nos".
· É fundado o Partido Comunista Brasileiro, filiado à III Internacional.
· Em São Paulo é realizada a Semana de Arte Moderna com a participação de escritores, poetas, músicos e artistas do renome de Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Graça Aranha, Manuel Bandeira, Anita Malfati, Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral, Vítor Brecheret, Villa·Lobos, entre outros.
· A líder sufragista americana Carrie Chapman Catt vem ao Brasil e fala para as líderes feministas do país.
· Tem início o movimento tenentista com a Revolta dos Dezoito do Forte, liderados pelo tenente Siqueira Campos e com a adesão do civil Otávio Correia.
· O capitão Luiz Carlos Prestes inicia a marcha da chamada Coluna Prestes.
· O Presidente Epitácio Pessoa manda fechar o Clube Militar.
· O mineiro Artur Bernardes é eleito Presidente da República e governa sob Estado de Sítio.
· Os aviadores Gago Coutinho e Sacadura Cabral realizam a primeira viagem de avião Lisboa - Rio de Janeiro.
· Benito Mussolini fecha as escolas montessorianas na Itália. Depois de um protesto público por sua atitude determina a reabertura das escolas, mas impõe-se Presidente Honorário da "Opera Montessori". · Benito Mussolini ordena a "Marcha sobre Roma", ocupando a capital com quinhentos mil milicianos fascistas, designando-se Primeiro-Ministro.
· A Rússia torna-se a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas.
1923 · O educador Lourenço Filho inicia um movimento de renovação educacional com a reforma realizada no Estado do Ceará.
· Carneiro Leão publica "Os Deveres das Novas Gerações Brasileiras".
· Afrânio Peixoto publica "Ensinar a Ensinar".
· É fundada a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, a primeira emissora comercial do Brasil.
· Chefiados por Virgulino Ferreira da Silva, o Lampeão, o cangaço ganha força no Nordeste.
· É editada a obra "A linguagem e o pensamento na criança", de Jean Piaget. · Adolf Hitler tenta assumir o poder na Alemanha. É preso e na prisão escreve "Mein Kampf" (Minha luta).
· Lenin deixa o poder na União Soviética, por motivo de saúde, e Stálin assume a liderança do Partido Comunista.
1924 · É criada a Associação Brasileira de Educação · ABE, por Heitor Lira, Antonio Carneiro Leão, Venâncio Filho, Everardo Backeuser, Edgard Süssekind de Mendonça, Delgado de Carvalho, entre outros. · Contando com o apoio da Força Pública Estadual, eclode em São Paulo a Revolução Paulista que conspirava contra o governo de Artur Bernardes. · Inicia·se a marcha da Coluna Paulista, que fugia da repressão do governo ao movimento paulista, e posteriormente vai se unir a Coluna Prestes em Foz do Iguaçu, no Paraná. · É editada a obra "O raciocínio e o julgamento na criança", de Jean Piaget. · Morre Lenin, gerando uma disputa de poder na União Soviética vencida por Josef Stálin.
1925 · O educador Anísio Teixeira realiza uma reforma educacional no estado da Bahia, através da Lei 1.846.
· Através da Reforma Rocha Vaz é introduzida a cadeira de Instrução Moral e Cívica, como forma de combater o protesto estudantil contra o governo de Artur Bernardes.
· A Coluna Prestes, comandada pelo Capitão Luiz Carlos Prestes, começa sua marcha pelo Brasil. · O biólogo suíço Jean Piaget torna·se professor titular de Psicologia, Sociologia e Filosofia das Ciências na Universidade de Neuchâtel, na Suíça, sua cidade natal.
· Nasce a primeira filha de Jean Piaget, Jacqueline.
· O Partido Fascista torna·se o único partido da Itália.
· Leon Trotsky é afastado por Stálin de suas funções de Comissário do Povo.
1926 · Fernando de Azevedo dirige um inquérito sobre a educação pública no Estado de São Paulo.
· É Ministro da Justiça e Negócios Interiores, no Governo Washington Luiz: Augusto Viana de Castelo.
· Nascido no Estado do Rio de Janeiro e tendo levado a efeito sua carreira política em São Paulo é eleito Presidente da República Washington Luiz. · É editada a obra "A representação do mundo na criança", de Jean Piaget. · Chiang Kai·shek expulsa as forças comunistas de Xangai.
1927 · O educador Francisco Campos realiza no Estado de Minas Gerais uma reforma educacional.
· Realiza·se a primeira das Conferências Nacionais de Educação, em Curitiba, organizada pela Associação Brasileira de Educação · ABE.
· Por iniciativa de Francisco Mendes Pimentel é criada a Universidade de Minas Gerais (a iniativa teve curta duração).
· É organizada a primeira empresa comercial de aviação brasileira, a VARIG.
· O Presidente Washington Luiz promulga a chamada "Lei Celerada", que permite a repressão a atividades políticas e sindicais operárias.
· O Partido Comunista Brasileiro é declarado ilegal.
· O educador francês Célestin Freinet edita seu primeiro livro, "A imprensa na escola".
· É editada a obra "A causalidade física na criança", de Jean Piaget.
· Nasce a segunda filha de Jean Piaget, Lucienne.
· Os Estados Unidos desembarcam tropas na Nicarágua e na China.
· Mao Tse-tung, fundador do Partido Comunista, lidera uma revolta em Hunam.
1928 · Fernando de Azevedo realiza uma reforma educacional na cidade do Rio de Janeiro, então Distrito Federal, e Carneiro Leão, em Pernambuco. · Surge o Partido Fascista Brasileiro.
· Mesmo antes das mulheres terem direito a votar a cidade de Lages, no estado do Rio Grande do Norte, elege a primeira prefeita mulher do país: Alzira Soriano.
  · Chiang Kai-shek torna·se Presidente da China.
· Stálin lança o Primeiro Plano Quinqüenal, iniciando a coletivização de terras.
1929   · A produção cafeeira no Brasil sofre um duro abalo, com o excesso de encalhe do produto, em função da crise financeira internacional.
· Para contrapor a "política do café com leite" dos Partidos Republicanos Mineiro e Paulista, que alternavam o poder desde 1894, é fundada a Aliança Liberal, lançando o líder do Estado do Rio Grande do Sul, Getúlio Vargas, como candidato à Presidência.
· Jean Piaget volta a Genebra, torna·se professor de História do Pensamento Científico na Universidade de Genebra, diretor-adjunto do Instituto Jean·Jacques Rousseau e é nomeado diretor do Departamento Internacional de Educação (Bureau Internationel d'Education · BIE). · É assinado o Tratado de Latrão que reconhece a autoridade do Papa sobre o Estado do Vaticano.
· É descoberta a penicilina pelo cientista escocês Alexander Fleming.
· A bolsa de Nova York entra em colapso, com a repentina desvalorização das Ações, levando muitas pessoas à falência imediata. E iniciando uma crise econômica mundial.
1930 · São Ministros da Justiça e Negócios Interiores, na Junta Governativa que durou apenas onze dias, Gabriel Loureiro Bernardes e Afrânio de Melo Franco (interino).
· É criado o Ministério da Educação e Saúde Pública, através do Decreto 19.402, tendo como Ministros no Governo Getúlio Vargas: Francisco Luiz da Silva Campos, Belizário Augusto de Oliveira Pena, Washington Ferreira Pires e Gustavo Capanema.
· O educador Lourenço Filho publica "Introdução ao Estudo da Escola Nova".
· O educador Fernando de Azevedo cria a Biblioteca Pedagógica Brasileira.
· Os alunos matriculados nas escolas correspondem a 30% da população em idade escolar.
· Apoiado pelos "coronéis" da oligarquia agrária é eleito Presidente da República Julio Prestes.
· O assassinato de João Pessoa, na Paraíba, candidato à Vice-Presidência da República na chapa de Getúlio Vargas, agravou uma crise política já iniciada, permitindo a eclosão da Revolução de 1930 que trouxe o fim da Primeira República.
· Eclode um movimento armado que depõe Washington Luiz e assume uma junta militar composta por Tasso Fragoso, Mena Barreto e José Isaías de Noronha.
· O gaúcho Getúlio Vargas assume o poder como Presidente Provisório, dissolve o Congresso e governa sem seguir a Constituição até 1934.
· O dirigível Graf Zeppelin passa pelo Brasil.
· É instituído o Cruzeiro como moeda nacional, substituindo o Réis.
· O baiano Jorge Amado dá início a sua carreira literária com o livro "O País do Carnaval".
  · Pela primeira vez na Inglaterra e no mundo realiza-se a transmissão regular de televisão, com a peça "Seis Personagens em Busca de um Autor", de Luigi Pirandello.




PERÍODO DA SEGUNDA REPÚBLICA (1930 - 1936)





      A década de 1920, marcada pelo confronto de idéias entre correntes divergentes, influenciadas pelos movimentos europeus, culminou com a crise econômica mundial de 1929. Esta crise repercutiu diretamente sobre as forças produtoras rurais que perderam do governo os subsídios que garantiam a produção. A Revolução de 30 foi o marco referencial para a entrada do Brasil no mundo capitalista de produção. A acumulação de capital, do período anterior, permitiu com que o Brasil pudesse investir no mercado interno e na produção industrial.
      A nova realidade brasileira passou a exigir uma mão-de-obra especializada e para tal era preciso investir na educação. Sendo assim, em 1930, foi criado o Ministério da Educação e Saúde Pública e, em 1931, o governo provisório sanciona decretos organizando o ensino secundário e as universidades brasileiras ainda inexistentes. Estes Decretos ficaram conhecidos como "Reforma Francisco Campos":
      - O Decreto 19.850, de 11 de abril, cria o Conselho Nacional de Educação e os Conselhos Estaduais de Educação (que só vão começar a funcionar em 1934).
      - O Decreto 19.851, de 11 de abril, institui o Estatuto das Universidades Brasileiras que dispõe sobre a organização do ensino superior no Brasil e adota o regime universitário.
      - O Decreto 19.852, de 11 de abril, dispõe sobre a organização da Universidade do Rio de Janeiro.
      - O Decreto 19.890, de 18 de abril, dispõe sobre a organização do ensino secundário.
      - O Decreto 20.158, de 30 de julho, organiza o ensino comercial, regulamenta a profissão de contador e dá outras providências.
      - O Decreto 21.241, de 14 de abril, consolida as disposições sobre o ensino secundário.
      Em 1932 um grupo de educadores lança à nação o Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova, redigido por Fernando de Azevedo e assinado por outros conceituados educadores da época.
      O Governo Provisório foi marcado por uma série de instabilidades, principalmente para exigir uma nova Constituição para o país. Em 1932 eclode a Revolução Constitucionalista de São Paulo.
      Em 1934 a nova Constituição (a segunda da República) dispõe, pela primeira vez, que a educação é direito de todos, devendo ser ministrada pela família e pelos Poderes Públicos.
      Ainda em 1934, por iniciativa do governador Armando Salles Oliveira, foi criada a Universidade de São Paulo. A primeira a ser criada e organizada segundo as normas do Estatuto das Universidades Brasileiras de 1931.
      Em 1935 o Secretário de Educação do Distrito Federal, Anísio Teixeira, cria a Universidade do Distrito Federal, com uma Faculdade de Educação na qual se situava o Instituto de Educação.
      Em função da instabilidade política deste período, Getúlio Vargas, num golpe de estado, instala o Estado Novo e proclama uma nova Constituição, também conhecida como "Polaca".





(Cronologia)



ANO HISTÓRIA
DA EDUCAÇÃO
BRASILEIRA
HISTÓRIA
DO
BRASIL
HISTÓRIA
GERAL
DA EDUCAÇÃO
HISTÓRIA
DO
MUNDO
1930 · São Ministros da Justiça e Negócios Interiores, na Junta Governativa que durou apenas onze dias, Gabriel Loureiro Bernardes e Afrânio de Melo Franco (interino).
· É criado o Ministério da Educação e Saúde Pública, através do Decreto 19.402, tendo como Ministros no Governo Getúlio Vargas: Francisco Luiz da Silva Campos, Belizário Augusto de Oliveira Pena, Washington Ferreira Pires e Gustavo Capanema.
· O educador Lourenço Filho publica "Introdução ao Estudo da Escola Nova".
· O educador Fernando de Azevedo cria a Biblioteca Pedagógica Brasileira.
· Os alunos matriculados nas escolas correspondem a 30% da população em idade escolar.
· Apoiado pelos "coronéis" da oligarquia agrária é eleito Presidente da República Julio Prestes.
· O assassinato de João Pessoa, na Paraíba, candidato à Vice-Presidência da República na chapa de Getúlio Vargas, agravou uma crise política já iniciada, permitindo a eclosão da Revolução de 1930 que trouxe o fim da Primeira República.
· Eclode um movimento armado que depõe Washington Luiz e assume uma junta militar composta por Tasso Fragoso, Mena Barreto e José Isaías de Noronha.
· O gaúcho Getúlio Vargas assume o poder como Presidente Provisório, dissolve o Congresso e governa sem seguir a Constituição até 1934.
· O dirigível Graf Zeppelin passa pelo Brasil.
· É instituído o Cruzeiro como moeda nacional, substituindo o Réis.
· O baiano Jorge Amado dá início a sua carreira literária com o livro "O País do Carnaval".
  · Pela primeira vez na Inglaterra e no mundo realiza-se a transmissão regular de televisão, com a peça "Seis Personagens em Busca de um Autor", de Luigi Pirandello.
1931 · O governo provisório sanciona decretos organizando o ensino secundário e as universidades brasileiras ainda inexistentes. Estes Decretos ficaram conhecidos como "Reforma Francisco Campos":
· O Decreto 19.850, de 11 de abril, cria o Conselho Nacional de Educação.
· O Decreto 19.851, de 11 de abril, institui o Estatuto das Universidades Brasileiras que dispõe sobre a organização do ensino superior no Brasil e adota o regime universitário.
· O Decreto 19.852, de 11 de abril, dispõe sobre a organização da Universidade do Rio de Janeiro.
· O Decreto 19.890, de 18 de abril, dispõe sobre a organização do ensino secundário.
· O Decreto 20.158, de 30 de julho, organiza o ensino comercial, regulamenta a profissão de contador e dá outras providências.
· O Decreto 21.241, de 14 de abril, consolida as disposições sobre o ensino secundário.
  · Nasce o primeiro filho de Jean Piaget: Laurent. · O Japão invade a Mandchúria.
· Tem início uma guerra entre a Bolívia e o Paraguai.
· Nos Estados Unidos entra regularmente no ar a televisão NBC.
· Governando como um ditador, Antônio Salazar torna-se Primeiro Ministro de Portugal.
1932 · Um grupo de educadores lança à nação o "Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova", redigido por Fernando de Azevedo.
· O Decreto 21.241, de 4 de abril, consolida a reforma do ensino secundário, visando, segundo Francisco Campos, "a formação do homem para todos os grandes setores da atividade nacional". Este Decreto resultou na implantação de um currículo enciclopédico.
· Eclode em São Paulo a Revolução Constitucionalista, protestando contra o fato do Presidente Getúlio Vargas governar sem uma Constituição. O movimento foi logo debelado pelo governo.
· É criada por Plínio Salgado a Ação Integralista Brasileira, sob o lema "Deus, pátria e família".
· Após difícil luta, as mulheres ganham o direito ao voto no Brasil.
· Morre em São Paulo o aviador brasileiro Alberto Santos Dumont, considerado, por nós brasileiros, como o "Pai da Aviação".
· Jean Piaget publica "O Julgamento Moral na Criança". Participa também do II Congresso Internacional Montessori, tornando-se Presidente da Associação Montessori da Suíça, cargo originalmente destinado a Adolphe Ferrière. · Adolph Hitler torna·se o Fuhrer da Alemanha.
1933 · O Diretor Geral de Instrução do Estado de São Paulo institui o Código de Educação do Estado, dando nova orientação à educação rural e reformando o aparelhamento escolar. · A médica e educadora paulista Carlota Pereira de Queiroz é eleita Deputada Federal e torna·se a primeira mulher a ocupar um lugar no Congresso Nacional.   · Adolf Hitler é nomeado Chanceler da Alemanha.
· Franklin Delano Roosevelt, Presidente dos Estados Unidos, põe em prática o plano "New Deal", para superar a crise econômica americana.
1934 · A nova Constituição dispõe, pela primeira vez, que a educação é direito de todos, devendo ser ministrada pela família e pelos Poderes Públicos.
· Passa a funcionar o Conselho Nacional de Educação · CNE e os Conselhos Estaduais de Educação · CEEs.
· Por iniciativa do governador Armando Salles Oliveira foi criada a Universidade de São Paulo. A primeira a ser criada e organizada segundo as normas do Estatuto das Universidades Brasileiras de 1931.
· É fundada a Universidade de Porto Alegre.
· Sucedendo a Lei de Organização do Governo Provisório, vigente desde 1930, foi promulgada pela Assembléia Constituinte uma nova Constituição brasileira (a terceira do Brasil e a segunda da República), de cunho liberal e muito influenciada pela Constituição alemã. Esta Constituição recebeu o apelido de "polaca".
· Através da nova Constituição foi instituído o Salário Mínimo.
· O gaúcho Getúlio Vargas foi eleito Presidente pelo Congresso.
  · Assinado um acordo de não agressão entre a Alemanha e a Polônia.
· Adolf Hitler ordena o assassinato de mil e setenta e seis opositores, que se tornou conhecida como a "noite dos longos punhais".
1935 · O Secretário de Educação do Distrito Federal, Anísio Teixeira, cria a Universidade do Distrito Federal, com uma Faculdade de Educação na qual se situava o Instituto de Educação. · Tendo como programa "combater o imperialismo anglo·americano e o fascismo, pela liberdade", surge a Aliança Nacional Libertadora, sob a direção de Luiz Carlos Prestes.
· O Presidente Getúlio Vargas manda fechar a Aliança Nacional Libertadora e prende alguns de seus partidários.
· Com o objetivo de levar ao poder a Aliança Nacional Libertadora tem início, no estado do Rio Grande do Norte, uma insurreição armada, apoiada por Pernambuco e pelo Rio de Janeiro, debelada em vinte e quatro horas, que passou a fazer parte da História do Brasil com o equivocado nome de Intentona Comunista.
· O estado de Santa Catarina elege a primeira deputada negra do país: Antonieta de Barros.
· O educador Célestin Freinet abre sua escola na cidade de Vence, na França. · Adolf Hitler restabelece o treinamento militar na Alemanha, desafiando o Tratado de Versalhes que o proibia.
· Na Alemanha é cassada a cidadania alemã aos judeus e é proibido o casamento de alemães com judeus.
· A Itália invade a Etiópia.
1936 · Os poderes públicos mantêm e controlam 73,3% das escolas do país.
· Vinte e quatro por cento das escolas particulares não obedecem aos padrões oficiais de ensino.
· É inaugurada a Rádio Nacional no Rio de Janeiro. · Jean Piaget inicia suas célebres observações sobre seus próprios filhos e publica "O nascimento da inteligência na criança". Neste mesmo ano recebe o título de "Doutor Honoris Causa" pela Universidade de Harvard. Uma vez por semana dá aulas de Psicologia Experimental na Universidade de Lausanne. · A Alemanha ocupa militarmente a Renânia.
· Tem início a Guerra Civil Espanhola, comandada por Francisco Franco.
· O Japão adere a aliança entre a Alemanha e a Itália.
· É assinado o acordo de paz entre a Bolívia e o Paraguai, pondo fim ao que se chamou de "Guerra do Chaco".



PERÍODO DO ESTADO NOVO (1937 - 1945)





      Refletindo tendências fascistas é outorgada uma nova Constituição em 10 de novembro de 1937. A orientação político-educacional para o mundo capitalista fica bem explícita em seu texto sugerindo a preparação de um maior contigente de mão-de-obra para as novas atividades abertas pelo mercado. Neste sentido a nova Constituição enfatiza o ensino pré-vocacional e profissional.
      Por outro lado propõe que a arte, a ciência e o ensino sejam livres à iniciativa individual e à associação ou pessoas coletivas públicas e particulares, tirando do Estado o dever da educação. Mantém ainda a gratuidade e a obrigatoriedade do ensino primário Também dispõe como obrigatório o ensino de trabalhos manuais em todas as escolas normais, primárias e secundárias.
      No contexto político o estabelecimento do Estado Novo, segundo Otaíza Romanelli, faz com que as discussões sobre as questões da educação, profundamente rica no período anterior, entre "numa espécie de hibernação"(1993: 153). As conquistas do movimento renovador, influenciando a Constituição de 1934, foram enfraquecidas nesta nova Constituição de 1937. Marca uma distinção entre o trabalho intelectual, para as classes mais favorecidas, e o trabalho manual, enfatizando o ensino profissional para as classes mais desfavorecidas. Ainda assim é criada a União Nacional dos Estudantes - UNE e o Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos - INEP.
      Em 1942, por iniciativa do Ministro Gustavo Capanema, são reformados alguns ramos do ensino. Estas Reformas receberam o nome de Leis Orgânicas do Ensino, e são compostas pelas seguintes Decretos-lei, durante o Estado Novo:
      - O Decreto-lei 4.048, de 22 de janeiro, cria o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - SENAI.
      - O Decreto-lei 4.073, de 30 de janeiro, regulamenta o ensino industrial.
      - O Decreto-lei 4.244, de 9 de abril, regulamenta o ensino secundário.
      - O Decreto-lei 4.481, de 16 de julho, dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos industriais empregarem um total de 8% correspondente ao número de operários e matriculá-los nas escolas do SENAI.
      - O Decreto-lei 4.436, de 7 de novembro, amplia o âmbito do SENAI, atingindo também o setor de transportes, das comunicações e da pesca.
      - O Decreto-lei 4.984, de 21 de novembro, compele que as empresas oficiais com mais de cem empregados a manter, por conta própria, uma escola de aprendizagem destinada à formação profissional de seus aprendizes.
      O ensino ficou composto, neste período, por cinco anos de curso primário, quatro de curso ginasial e três de colegial, podendo ser na modalidade clássico ou científico. O ensino colegial perdeu o seu caráter propedêutico, de preparatório para o ensino superior, e passou a preocupar-se mais com a formação geral. Apesar desta divisão do ensino secundário, entre clássico e científico, a predominância recaiu sobre o científico, reunindo cerca de 90% dos alunos do colegial (Piletti, 1996: 90).
      Ainda no espírito da Reforma Capanema é baixado o Decreto-lei 6.141, de 28 de dezembro de 1943, regulamentando o ensino comercial (observação: o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - SENAC só é criado em 1946, após, portanto o Período do Estado Novo).
      Em 1944 começa a ser publicada a Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, órgão de divulgação do Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos - INEP.





(Cronologia)



ANO HISTÓRIA
DA EDUCAÇÃO
BRASILEIRA
HISTÓRIA
DO
BRASIL
HISTÓRIA
GERAL
DA EDUCAÇÃO
HISTÓRIA
DO
MUNDO
1937 · A nova Constituição enfatiza o ensino pré-vocacional e profissional. Retira de seu texto que "a educação é direito de todos".
· É criado o Instituto Nacional do Cinema Educativo e o Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.
· Fernando de Azevedo publica "A Educação Pública no Estado de São Paulo", baseado no inquérito dirigido por ele no ano de 1926.
· Entra em vigor a Constituição redigida por Francisco Campos, extinguindo os partidos políticos e dando ao Presidente controle sobre o Legislativo e o Judiciário. Estava instituído o Estado Novo. · É editada a obra "A construção do real na criança", de Jean Piaget. · Assinado acordo de não agressão entre a União Soviética e o Japão.
· Os japoneses ocupam Pequim, Chantung, Xangai e Nanquim, na China.
1938 · É criada a União Nacional dos Estudantes - UNE.
· É criado o Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos - INEP.
· Liderados por Plinio Salgado, os integralistas tentam matar o Presidente Getúlio Vargas, tomando de assalto o Palácio Guanabara. A guarda do Palácio, juntamente com o Presidente e sua família reagiram, frustrando a Revolta Integralista.
· Lampião e Maria Bonita são mortos em Anjicos, no estado de Sergipe.
  · A Alemanha ocupa a Áustria.
1939 · É criado o Serviço Nacional de Radiodifusão Educativa.
· É extinta a Universidade do Distrito Federal e incorporada à Universidade do Brasil.
· O Presidente Getúlio Vargas declara a neutralidade do país com relação à II Guerra Mundial. · Jean Piaget começa a lecionar Sociologia na Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade de Genebra. · Morre o Papa Pio XI. O Cardeal Eugênio Pacelli é eleito Papa Pio XII.
· Os Falangistas vencem a Guerra Civil Espanhola e Francisco Franco assume o poder.
· Tem início a II Guerra Mundial.
· É realizada a fissão do urânio, nos laboratórios da Universidade de Colúmbia.
· Morre Sigmund Freud, o precursor da Psicanálise.
1940 · É criado o Departamento Nacional da Criança, vinculado ao Ministério da Educação e Saúde.   · Morre o psicólogo e educador Edouard Claparéde.
· Em função da II Guerra é preso na França o educador francês Célestin Freinet e na Índia, onde se encontrava trabalhando, é presa a educadora italiana Maria Montessori, juntamente com seu filho Mario.
· Com a morte de Claparéde, Jean Piaget assume a cadeira de Psicologia Experimental da Universidade de Genebra.
· A União Soviética e a Finlândia assinam acordo de paz e a União Soviética anexa aos seus territórios a Estônia, Letônia e a Lituânia.
· Leon Trotsky, um dos líderes da Revolução Russa de 1917, é assassinado no México, por um golpe de machado, desferido por Ramón Mercader, a mando de Stálin.
1941 · É criado o Serviço de Assistência a Menores - SAM, vinculado ao Ministério da Justiça e Negócios Interiores, para atender as crianças desassistidas. · Os Estados Unidos comprometem-se a financiar a Companhia Siderúrgica Nacional em troca de instalações de bases militares norte-americanas em Natal, Belém e Recife.
· É criada a Força Aérea Brasileira - FAB.
· É criado o Conselho Nacional do Petróleo.
· São editadas as obras "A gênese do número na criança", com a colaboração de Alina Szeminska, e "O desenvolvimento das quantidades físicas", de Jean Piaget, entre outras. · A aviação japonesa ataca Pearl Harbor, fazendo com que os americanos entrem na Guerra.
1942 · É decretada a reforma do ensino relativa ao ensino secundário, conhecida como Reforma Capanema:
· O Decreto-lei 4.048, de 22 de janeiro, cria o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - SENAI.
· O Decreto-lei 4.073, de 30 de janeiro, regulamenta o ensino industrial.
· O Decreto-lei 4.244, de 9 de abril, regulamenta o ensino secundário.
· O Decreto-lei 4.481, de 16 de julho, dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos industriais empregarem um total de 8% correspondente ao número de operários e matriculá-los nas escolas do SENAI.
· O Decreto-lei 4.436, de 7 de novembro, amplia o âmbito do SENAI, atingindo também o setor de transportes, das comunicações e da pesca.
· O Decreto-lei 4.984, de 21 de novembro, compele que as empresas oficiais com mais de cem empregados a manter, por conta própria, uma escola de aprendizagem destinada à formação profissional de seus aprendizes.
· O Brasil declara Guerra à Alemanha e seus aliados, após o torpedeamento de navios brasileiros em nossas costas. · É editada a obra "Classe, relações e números", de Jean Piaget.  
1943 · Ainda no espírito da Reforma Capanema é baixado o Decreto-lei 6.141, de 28 de dezembro, regulamentando o ensino comercial.
· É criado em Recife, por Felipe Tiago Gomes, a Campanha do Ginasiano Pobre - CGP, núcleo inicial da futura Campanha Nacional de Escolas da Comunidade - CNEC.
· A Consolidação das Leis do Trabalho exige que sejam implantadas creches nas empresas para filhos de funcionários.
· É fundada a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ.
· É criado o Território do Amapá.
· Passa a vigorar a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT.
  · Mussolini é deposto na Itália.
1944 · Começa a ser publicada a Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, órgão de divulgação do Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos - INEP. · São criados os Territórios de Rio Branco, Guaporé, Ponta Porã, Iguaçu e Fernando de Noronha.
· O Brasil envia para a Itália a VForça Expedicionária Brasileira - FEB.
  · Chiang Kai-shek recusa a participação dos comunistas no governo chinês.
· As tropas aliadas invadem a França, dando início a vitória na II Guerra. O dia da invasão ficou conhecido como o Dia D.
1945 · É criado o Instituto Rio Branco com o objetivo de recrutar e educar pessoal para a carreira diplomática.
· O biólogo suíço Jean Piaget visita o Brasil como "pedagogo" (o que ele nunca foi) a convite da UNESCO.
· A Campanha do Ginasiano Pobre passa a se chamar Campanha de Ginásios Populares.
· É Ministro da Educação e Saúde Pública, no Governo José Linhares: Raul Leitão da Cunha.
· Tem início o funcionamento da Companhia Siderúrgica Nacional.
· O Partido Comunista Brasileiro - PCB é legalizado.
· O Presidente Getúlio Vargas é deposto por um movimento militar, vindo a assumir a Presidência da República em caráter interino, o ministro do Supremo Tribunal José Linhares.
· O marechal Eurico Gaspar Dutra é eleito o novo Presidente da República, pelo Partido Social Democrático - PSD, concorrendo contra o brigadeiro Eduardo Gomes, da União Democrática Nacional -UDN e contra Iedo Fiuza do Partido Comunista Brasileiro -PCB.
· O bispo D. Carlos Duarte Costa funda a Igreja Católica Apostólica Brasileira, tornando-se Bispo do Rio de Janeiro, após ter sido excomungado pelo Vaticano por suas posições contrárias assumidas em relação à Igreja Católica.
  · Quando tentavam fugir para a Suíça Benito Mussolini e sua mulher Clara Petacci são presos e assassinados no lago de Como.
· Em Alamogordo, Estado do Novo México, nos Estados Unidos, explode a primeira bomba atômica.
· As cidades de Hiroxima e Nagasaqui são arrasadas por bombas atômicas, matando milhares de japoneses.
· O líder Ho Chi Minh proclama a independência do Vietnam.
· Na Argentina, Juan Domingo Perón é preso e depois libertado.
· É criada oficialmente a Organização das Nações Unidas - ONU.
· Após o lançamento das bombas atômicas no Japão, termina a II Guerra Mundial.
· As mulheres conquistam o direito ao voto na França e no Japão.

Referências:

PILETTI, Nelson. História da Educação no Brasil. 6. ed. São Paulo: Ática, 1996.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira, História da Educação no Brasil. 15. ed. Petrópolis: Vozes, 1993.



Fonte: http://www.pedagogiaemfoco.pro.br
Organizado por: Professora Marcia Valeria




PESQUISE POSTAGENS NO SITE

Filmes Educacionais

  • Escritores da Liberdade
  • Filhos do Silêncio
  • Meu Mestre minha Vida
  • Nell
  • O Livro Perigoso
  • O Milagre de Anna Sullivan
  • O Nome da Rosa
  • O Triunfo
  • O Óleo de Lorenzo
  • Sociedade dos Poetas Mortos

Contadores

"Feliz aquele que transfere o que sabe
e aprende o que ensina."
(Cora Coralina)

Feliz Dia das Crianças para todos!
Responsabilidade, Honestidade e Pontualidade faz parte de nossas vidas e temos que estar atentos para não pecarmos nessas áreas. Isso faz parte do ser adulto. Mas nada nos impede de sermos crianças em alguns momentos, principalmente na humildade e sinceridade. Só que a sinceridade as vezes ofende, pois as pessoas não estão preparadas para ouvirem a verdade, mesmo que venha da boca de uma criança.

Professora Marcia Valeria-2010.

CANAL - Professora Marcia Valeria

Loading...

ACESSOS...



1.000.000 Acessos

Meus Agradecimentos...


16/11/2013 - 1.500.000 Acessos! Obrigada Senhor!




Recent Visitors